Redação

Redação

Página 1 de 28

Repleto de quadros, o espetáculo 'A Tia é um Show', com Guilerme Uzeda, será apresentado no Teatro Clara Nunes em Diadema.

Os ingressos promocionais *(com 50% de desconto para todos os públicos) podem ser adquiridos aqui.

Entre seus vários quadros, estão o ‘Bailão da Tia’ – onde pessoas da plateia são chamadas para participar de um concurso de dança,’Tia Canta e Encanta’ , ‘ Tia Responde’ onde a Tia responde de forma engraçada as cartas dos telespectadores.

Para ver detalhes sobre sinopse, data, local e horário, acesse a página aqui.

Opinião do professor MARCO AURÉLIO

Essa segunda semana de janeiro de 2018 foi uma semana cheia e coberta de felicidade para o povo brasileiro, que sobreviveu ao golpe de abril de 2016 e inocentemente esperava que o Brasil mudasse da noite para o dia, quando ocorresse o impeachment.

No domingo passado, dia 07, a Globo tentou lançar o seu candidato a presidente sem sucesso; mesmo usando o Faustão a coisa não foi bem. Lembrei do ex-presidente Collor, cantado em verso e prosa pela emissora em 1988, como o grande caçador de Marajás.

 

A semana trouxe boas notícias para o povo

Durante a semana, o PT decidiu transformar seus diretórios do Brasil em Comitês Populares, com a frase ELEIÇÃO SEM LULA É FRAUDE. LULA 2018.  Segundo a Direção Nacional do Partido serão milhares de locais em todo o país. Cada cidadão brasileiro pode montar o seu comitê popular também.

No dia 13 de janeiro, o PSOL através de sua executiva nacional, publicou um documento que defende a candidatura de LULA a Presidente do Brasil. Num dos trechos, o documento afirma: “O golpe institucional de abril de 2016 abriu um período de novos e profundos ataques à democracia, à soberania e aos direitos sociais. Parte desses ataques se expressa nas tentativas de restringir ainda mais os direitos civis, como demonstram a tentativa de limitação do direito ao habeas corpus ou da aceitação das provas ilegais, proposto pelo Ministério Público ou a inúmeras condenações baseadas exclusivamente em delações de executivos envolvidos em atos de corrupção promovidos em parceira com agentes públicos, muitas delas sem quaisquer provas”

No site 247, o jornalista e escritor Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília, pede a suspensão do julgamento de LULA no dia 22 de janeiro em Porto Alegre. Segundo ele a decisão da juíza Luciana de Oliveira, titular da Segunda Vara de Execução e títulos do Distrito Federal, ao considerar a OAS como legítima proprietária do Triplex no Guarujá, penhorando o imóvel no processo em favor do pagamento de dívidas da OAS para uma empresa credora, contrapõe-se à investigação de Justiça de Curitiba.  Tudo isso, torna sem sentido a decisão judicial de Curitiba. Assim, o jornalista pede a suspensão do julgamento em nome do que os juristas chamam de “fato superveniente”, que se sobrepõe ao que foi apurado até aqui.  

Vi até um bloco de Carnaval em Pernambuco chamado Sapo Barbudo, em defesa da democracia e de LULA. Há também, em sites e jornais, informações que dezenas de caravanas irão até Porto Alegre e que a avenida Paulista viverá uma gigantesca manifestação popular em defesa da democracia e de LULA na Paulista, dia 24 de janeiro.

Ainda nesta semana, dezesseis ex-presidentes e líderes de diversos países assinaram uma declaração conjunta em apoio ao ex-presidente LULA. Entre os líderes da América Latina estão José Mojica do Uruguai, Cristina Kirchner da Argentina, Ernesto Samper da Colômbia, Mauricio Funes de El Salvador, Nicanor Duarte e Fernando Lupo do Paraguai e outros. Alguns outros são: Felipe Gonzalés da Espanha, Massimo D’Alema ex-primeiro ministro da Itália e José Miguel Insulza ex-secretario geral da OEA. No documento, os lideres afirmam que o “ex-presidente LULA implantou um ambicioso programa de transformação social no Brasil, tirando da miséria milhões de homens e mulheres”. O manifesto em defesa da democracia e de LULA já tem mais de 170 mil assinaturas.

No outro Brasil, a Folha de São Paulo do dia 10 de janeiro publica que Maluf continua preso na Papuda, após avaliação de médicos do IML, e Serra é acusado de receber 52 milhões via caixa 2 pelo ex-presidente da Odebrecht Pedro Novis. No outro Brasil, Temer promete liberar 10 bilhões para aprovar a famigerada Reforma da Previdência em fevereiro.  No outro Brasil, a agência de avaliação de risco Standard & Poor’s diz que rebaixou o Brasil para BB- por atraso da reforma da Previdência. No outro Brasil, o Estadão de domingo, 14 de janeiro, publica na capa que Temer não cumpre meta do Minha Casa Minha Vida, vai cumprir apenas 13,5% da meta do governo.

No Brasil do povo, líderes mundiais revelam a importância política do ex-presidente LULA no mundo todo. Lendo jornais e vendo tevê, percebemos que há um movimento estranho para impedir a transformação do Brasil e a candidatura de LULA a presidente novamente. Como historiador, sou forçado a lembrar da perseguição a João Goulart, a Juscelino Kubitscheck, e a Getúlio Vargas.

Marco Aurélio Rodrigues Freitas é jornalista, biomédico, historiador e professor das redes municipal e estadual de São Paulo. Escreve todas as semanas no site Planeta Osasco.

A cidade de Osasco vai receber a peça O BURACO É FUNDO ACABOU-SE O MUNDO, com direção de Genivaldo de José. O espetáculo acontece na Escola de Artes de Osasco, ao lado da biblioteca.

Serão duas apresentações, dias 20 e 21 de janeiro, 20 horas.

De caráter independente, a peça narra o drama e a poética da vida dos moradores de rua das periferias urbanas; das grandes metrópoles. Apresentam-se as emoções e os infortúnios da vida daqueles que estão a margem da sociedade, abandonados à própria sorte.

Para adquirir ingresso promocional desse espetáculo, acesse este link. Preço popular.

Apresentação da Peça: O BURACO É FUNDO ACABOU-SE O MUNDO.

Texto e Direção: Genivaldo de José

Elenco: Charles Holanda (Eraldo) Dario Bendas (Quita) Giancarlo Mastronardi (Egito) Marivaldo Gomes (Nicolau) FAIXA ETÁRIA: 16 ANOS

Opinião do professor MARCO AURÉLIO

Ouvi no Sala de Música/CBN semana passada, o seguinte depoimento de João Marcelo Bôscoli, que sua mãe - Elis Regina - costumava dizer a ele: “filho, a música brasileira é uma mesa com quatro pernas, e uma delas é Caetano Veloso. Se tirarmos a perna Caetano, a mesa não fica em pé”. 

Depois de achar genial a metáfora da Elis, pensei que a gente poderia pensar o Brasil da mesma forma: uma mesa com quatro pernas. De 1988 para cá, as quatro pernas podem ser estas:  superávit primário, políticas compensatórias, educação para todos e desenvolvimento sustentável. A ausência de qualquer uma delas derruba a mesa do “Brasil contemporâneo”. 

Nos anos 70, a Ditadura tirou do cenário o jornalista Vladimir Herzog. Tirou um pé da mesa e o regime militar começou a cair. Nas eleições de 1988, os Arenosos e o Centrão tinham medo que Brizola e LULA fossem dois pés da mesa e não queriam nenhum deles no segundo turno. LULA foi para o segundo turno, Fizeram Collor ganhar a eleição, mas a mesa não ficou em pé. Deu no que deu. O fim da história, nós sabemos. 

Atualmente, O Brasil procura outra mesa com outras quatro pernas, todas atrasadas como fez a Ditadura Militar de 1964 a 1985: política social excludente, destruição da Constituição de 1988, fim das políticas compensatórias, educação para poucos e até uma quinta perna (as receitas econômicas do FMI). Esse processo representa uma desconstrução de tudo que construímos juntos na mesa do país nos últimos 30 anos. 

Vivemos, desde 2016, sob o domínio do Centrão, que perdeu o debate no Congresso Constituinte, perdeu todas as eleições seguintes e que chegou ao poder numa manobra parlamentar para tirar uma Presidente eleita. Devolvendo privilégios para os mais ricos e organizando uma mesa para poucos.

Nas últimas semanas, o povo brasileiro tem visto os novos/velhos  pés da mesa da elite: queda do salário mínimo, volta da agenda do Consenso de Washington, congelamento dos gastos sociais, mudança constitucional para terminar com regras como as da Lei de Responsabilidade Fiscal, crise na Segurança Pública Nacional, Crise no SUS, fim de incentivos à Ciência e Educação, retrocesso na Política Ambiental, Reforma Trabalhista, Reforma da Previdência e transformação do Congresso Nacional em balcão de acordos espúrios.  São pernas de uma mesa onde não cabe o povo brasileiro.

Por isso, todas as pesquisas de opinião revelam a escolha do povo pelo ex-presidente LULA. O povo quer sentar na mesa também, por isso o resultado das pesquisas é este; nem mesmo a união entre os desejos da grande mídia, do mercado e do jurídico conseguem mudar o desejo popular. 

Aproveito para dizer que a passagem de Heitor Cony no sábado de madrugada, que estava com 91 anos, mostra uma perna tirada da mesa no jornalismo nacional. Resta saber se essa mesa vai ficar em pé daqui para a frente. Vamos ver.

Termino minha crônica reproduzindo uma frase do livro Quase Memória de Carlos Heitor Cony, creditada ao seu pai, que dizia todas as noites antes de dormir: “Amanhã farei grandes coisas”. 

Resultado de imagem para carlos heitor cony na CBN

Carlos Heitor Cony na Academia Brasileira de Letras. 

Marco Aurélio Rodrigues Freitas é jornalista, biomédico, historiador e professor das redes municipal e estadual de São Paulo. Escreve todas as semanas no site Planeta Osasco. 

Um fantástico solo de humor de Renato Scarpin em única apresentação em Osasco. Ingressos promocionais com 60% de desconto, por apenas R$25,00 para todos os públicos (acima de 12 anos).

Comprar ingresso


RENATO SCARPIN FAZ ÚNICA SESSÃO DO SEU SOLO DE HUMOR ‘ENGOLINDO SAPO… PRA UM DIA COMER PERERECA’ EM OSASCO

Texto escrito e interpretado por Renato Scarpin, há 8 anos com sucesso de público, traz teatralidade à cena de espetáculos solos com a apresentação de personagens de humor

O espetáculo ENGOLINDO SAPO… PRA UM DIA COMER PERERECA, concepção do ator e diretor Renato Scarpin, se apresenta em Osasco, no domingo, dia 21 de janeiro, às 20h, no Teatro Municipal Glória Giglio. Trata-se de um espetáculo solo de humor com uma proposta diferente, já que Scarpin intercala momentos de ‘cara limpa’ com personagens inteligentes, inéditas e inusitadas. O subtítulo da peça é uma metáfora, uma brincadeira sobre os sapos que a gente engole na vida, em todos os aspectos do dia a dia, pra quem sabe um dia conseguirmos algo bom, alcançarmos um objetivo de sucesso.

Em uma época onde as temporadas de teatro são cada vez mais ‘encurtadas’ devido à pouca audiência, o espetáculo, que continua surpreendendo o meio artístico e o público, vem sendo estendido e completa, em 2018, nove anos consecutivos de sucesso em cartaz.

No espetáculo, o ator faz uma ácida, porém bem-humorada, crítica à política de impostos do Brasil; às dificuldades de usar o sistema bancário self-service; satiriza as divergências de postura de um casal e da relação entre familiares, entre outras coisas. O ator brinca com o mundo moderno e todas as suas peculiaridades. Revela situações que todos nós passamos, mas nunca paramos para pensar em seu lado cômico, mostra de forma hilária as diversidades e idiossincrasias nas relações entre homem e mulher, amigos, família, chefes ou funcionários, enfim, a intrigante relação humana.

Intercalando esses momentos de sátira e descontração, o ator interpreta quatro personagens improváveis: o Sapo da Cantareira, isso mesmo, um sapo que vive na Cantareira e está sofrendo com a falta d’água em São Paulo e com os problemas políticos do momento. Mohamed, um terrorista árabe que só se dá mal no Brasil. Nicanor, um idoso que tenta aprender computação, mas encontra todas as dificuldades de se dominar uma nova tecnologia e linguagem tão distantes de sua geração. E, por fim, Marigreides, uma empregada louca e atrapalhada que entende tudo errado.

Divertido, para todas as idades, com muita crítica social embutida entre uma risada e outra, impossível não se identificar com as atitudes e situações retratadas. O público terá a sensação de ver algo novo, não apenas mais um Stand-up Comedy; e sim um show de humor com um texto rico, inovador, inteligente e muito engraçado.

 

Comprar ingresso promocional

Em única apresentação no Teatro Municipal de Osasco, o espetáculo espírita  'Emmanuel - a Luz de Chico Xavier' é um ponto alto das apresentações no mês de janeiro na cidade.

Com ingressos promocionais válidos para todos os públicos (R$30,00 comprando no site), a apresentação acontece no dia 20 de janeiro, 20h, um sábado especial para Osasco.

Para obter seu ingresso, acesse www.ingressodasartes.com.br e adquira o promocional (para todos os públicos).

 

 

Página 1 de 28