Página 3 de 54

No acumulado do ano, são 7,9 mil ocorrências, o que equivale a 52 casos por dia

Assaltos

Assaltos (Foto: Divulgação)

(Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

O índice de assaltos praticados nas cidades da região Oeste cresceu 22% entre abril e maio deste ano. É o que apontam dados divulgados, esta semana, pela Secretaria Estadual da Segurança Pública. Em maio, 1822 pessoas foram vítimas de roubo (ocorrência que envolve ameaça à vítima), contra 1490 em abril.  Já no acumulado dos primeiros cinco meses do ano, os assaltantes  fizeram 7901 vítimas em Osasco e cidades vizinhas, o que equivale a uma média de 52 roubos por dia.  No comparativo entre as cidades, a alta foi puxada principalmente por Osasco, onde o total de roubos saltou de 759 para 982 entre abril e a maio, e por Carapicuíba, com alta de 277 para 381. Já Barueri registrou a maior baixa, de 120 para 98 registros.  Osasco lidera ainda o ranking da região entre janeiro e maio, com 4192 registros de roubo, mais da metade do total acumulado pelos outros municípios.  Outro tipo de crime que apresentou alta, entre abril e maio, foi o furto de veículos. No mês passado, 428 pessoas tiveram seus veículos levados por ladrões ao deixaram estacionados, número 13% superior aos 377 registrados em abril. No acumulado do ano, a experiência de voltar ao local de estacionamento e não encontrar mais seu carro ou moto foi vivida por um total de 2017 pessoas em toda a região. Mas, nesse tipo de crime, Osasco e Parnaíba foram as exceções. Na primeira cidade, o número de casos ficou praticamente estável (queda de 289 para 288), enquanto em Parnaíba, baixou de 7 para 4. Jandira teve a maior elevação, de 5 para 12, seguida por Carapicuíba, de 33 para 65. Os furtos de veículo também tiveram alta expressiva em Barueri (de 18 para 27) e em Cotia (de 9 para 14). Ainda de acordo com os dados da secretaria, outros dois tipos de crime registraram ligeira queda entre abril e maio. Os furtos baixaram 2%, de 1220 para 1195. E os roubos de veículo tiveram redução de 2,6%, de 299 para 293.

Governo do Estado garantiu na Justiça liminar contra paralisação dos trens e do Metrô

Greve

Greve (Foto: Luciano Benazzi)

(Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

A convocação de greve geral para esta sexta-feira, dia 30, contra as reformas trabalhista e previdenciária do governo do presidente Temer, deve sofrer baixa dos ferroviários e metroviários em São Paulo. O governo do Estado obteve, na Justiça,  uma liminar determinando que os sindicatos das duas categorias  não façam greve total ou parcial dos serviços públicos de transporte. A justiça também estipulou multa diária de  R$ 1 milhão a cada sindicato, em caso de descumprimento. Os metroviários já tinham confirmado adesão ao movimento. Já os ferroviários das linhas 8 e 9, que atendem Osasco e cidades vizinhas, transportando mais de 1 milhão de pessoas por dia, decidiram não fazer assembleia, mas o sindicato convocou os trabalhadores para a greve.  Como parte da greve geral, convocada pelas centrais sindicais, Osasco deve contar, nesta sexta-feira, com um ato no Largo de Osasco, a partir das 9h30. Ele vai reunir metalúrgicos, bancários e professores, dentre outras categorias, que também farão caminhada pelo Calçadão. Há previsão de fechamento de lojas e agências bancárias. “O governo quer correr com as reformas para ganhar fôlego e se segurar. Mas não vamos permitir que os direitos dos trabalhadores sejam destruídos. É com a força das ruas que temos de derrotar esse projeto”, afirma o secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos, Gilberto Almazan.  Já no período da tarde, os trabalhadores vão engrossar ato que acontece na avenida Paulista, na Capital.

Governo do Estado garantiu na Justiça liminar contra paralisação dos trens e do Metrô

Greve

Greve (Foto: Luciano Benazzi)

(Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

A convocação de greve geral para esta sexta-feira, dia 30, contra as reformas trabalhista e previdenciária do governo do presidente Temer, deve sofrer baixa dos ferroviários e metroviários em São Paulo. O governo do Estado obteve, na Justiça,  uma liminar determinando que os sindicatos das duas categorias  não façam greve total ou parcial dos serviços públicos de transporte. A justiça também estipulou multa diária de  R$ 1 milhão a cada sindicato, em caso de descumprimento. Os metroviários já tinham confirmado adesão ao movimento. Já os ferroviários das linhas 8 e 9, que atendem Osasco e cidades vizinhas, transportando mais de 1 milhão de pessoas por dia, decidiram não fazer assembleia, mas o sindicato convocou os trabalhadores para a greve.  Como parte da greve geral, convocada pelas centrais sindicais, Osasco deve contar, nesta sexta-feira, com um ato no Largo de Osasco, a partir das 9h30. Ele vai reunir metalúrgicos, bancários e professores, dentre outras categorias, que também farão caminhada pelo Calçadão. Há previsão de fechamento de lojas e agências bancárias. “O governo quer correr com as reformas para ganhar fôlego e se segurar. Mas não vamos permitir que os direitos dos trabalhadores sejam destruídos. É com a força das ruas que temos de derrotar esse projeto”, afirma o secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos, Gilberto Almazan.  Já no período da tarde, os trabalhadores vão engrossar ato que acontece na avenida Paulista, na Capital.

No acumulado do ano, são 7,9 mil ocorrências, o que equivale a 52 casos por dia

Assaltos

Assaltos (Foto: Divulgação)

(Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

O índice de assaltos praticados nas cidades da região Oeste cresceu 22% entre abril e maio deste ano. É o que apontam dados divulgados, esta semana, pela Secretaria Estadual da Segurança Pública. Em maio, 1822 pessoas foram vítimas de roubo (ocorrência que envolve ameaça à vítima), contra 1490 em abril.  Já no acumulado dos primeiros cinco meses do ano, os assaltantes  fizeram 7901 vítimas em Osasco e cidades vizinhas, o que equivale a uma média de 52 roubos por dia.  No comparativo entre as cidades, a alta foi puxada principalmente por Osasco, onde o total de roubos saltou de 759 para 982 entre abril e a maio, e por Carapicuíba, com alta de 277 para 381. Já Barueri registrou a maior baixa, de 120 para 98 registros.  Osasco lidera ainda o ranking da região entre janeiro e maio, com 4192 registros de roubo, mais da metade do total acumulado pelos outros municípios.  Outro tipo de crime que apresentou alta, entre abril e maio, foi o furto de veículos. No mês passado, 428 pessoas tiveram seus veículos levados por ladrões ao deixaram estacionados, número 13% superior aos 377 registrados em abril. No acumulado do ano, a experiência de voltar ao local de estacionamento e não encontrar mais seu carro ou moto foi vivida por um total de 2017 pessoas em toda a região. Mas, nesse tipo de crime, Osasco e Parnaíba foram as exceções. Na primeira cidade, o número de casos ficou praticamente estável (queda de 289 para 288), enquanto em Parnaíba, baixou de 7 para 4. Jandira teve a maior elevação, de 5 para 12, seguida por Carapicuíba, de 33 para 65. Os furtos de veículo também tiveram alta expressiva em Barueri (de 18 para 27) e em Cotia (de 9 para 14). Ainda de acordo com os dados da secretaria, outros dois tipos de crime registraram ligeira queda entre abril e maio. Os furtos baixaram 2%, de 1220 para 1195. E os roubos de veículo tiveram redução de 2,6%, de 299 para 293.

No acumulado do ano, são 7,9 mil ocorrências, o que equivale a 52 casos por dia

Assaltos

Assaltos (Foto: Divulgação)

(Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

O índice de assaltos praticados nas cidades da região Oeste cresceu 22% entre abril e maio deste ano. É o que apontam dados divulgados, esta semana, pela Secretaria Estadual da Segurança Pública. Em maio, 1822 pessoas foram vítimas de roubo (ocorrência que envolve ameaça à vítima), contra 1490 em abril.  Já no acumulado dos primeiros cinco meses do ano, os assaltantes  fizeram 7901 vítimas em Osasco e cidades vizinhas, o que equivale a uma média de 52 roubos por dia.  No comparativo entre as cidades, a alta foi puxada principalmente por Osasco, onde o total de roubos saltou de 759 para 982 entre abril e a maio, e por Carapicuíba, com alta de 277 para 381. Já Barueri registrou a maior baixa, de 120 para 98 registros.  Osasco lidera ainda o ranking da região entre janeiro e maio, com 4192 registros de roubo, mais da metade do total acumulado pelos outros municípios.  Outro tipo de crime que apresentou alta, entre abril e maio, foi o furto de veículos. No mês passado, 428 pessoas tiveram seus veículos levados por ladrões ao deixaram estacionados, número 13% superior aos 377 registrados em abril. No acumulado do ano, a experiência de voltar ao local de estacionamento e não encontrar mais seu carro ou moto foi vivida por um total de 2017 pessoas em toda a região. Mas, nesse tipo de crime, Osasco e Parnaíba foram as exceções. Na primeira cidade, o número de casos ficou praticamente estável (queda de 289 para 288), enquanto em Parnaíba, baixou de 7 para 4. Jandira teve a maior elevação, de 5 para 12, seguida por Carapicuíba, de 33 para 65. Os furtos de veículo também tiveram alta expressiva em Barueri (de 18 para 27) e em Cotia (de 9 para 14). Ainda de acordo com os dados da secretaria, outros dois tipos de crime registraram ligeira queda entre abril e maio. Os furtos baixaram 2%, de 1220 para 1195. E os roubos de veículo tiveram redução de 2,6%, de 299 para 293.

No acumulado do ano, são 7,9 mil ocorrências, o que equivale a 52 casos por dia

Assaltos

Assaltos (Foto: Divulgação)

(Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

O índice de assaltos praticados nas cidades da região Oeste cresceu 22% entre abril e maio deste ano. É o que apontam dados divulgados, esta semana, pela Secretaria Estadual da Segurança Pública. Em maio, 1822 pessoas foram vítimas de roubo (ocorrência que envolve ameaça à vítima), contra 1490 em abril.  Já no acumulado dos primeiros cinco meses do ano, os assaltantes  fizeram 7901 vítimas em Osasco e cidades vizinhas, o que equivale a uma média de 52 roubos por dia.  No comparativo entre as cidades, a alta foi puxada principalmente por Osasco, onde o total de roubos saltou de 759 para 982 entre abril e a maio, e por Carapicuíba, com alta de 277 para 381. Já Barueri registrou a maior baixa, de 120 para 98 registros.  Osasco lidera ainda o ranking da região entre janeiro e maio, com 4192 registros de roubo, mais da metade do total acumulado pelos outros municípios.  Outro tipo de crime que apresentou alta, entre abril e maio, foi o furto de veículos. No mês passado, 428 pessoas tiveram seus veículos levados por ladrões ao deixaram estacionados, número 13% superior aos 377 registrados em abril. No acumulado do ano, a experiência de voltar ao local de estacionamento e não encontrar mais seu carro ou moto foi vivida por um total de 2017 pessoas em toda a região. Mas, nesse tipo de crime, Osasco e Parnaíba foram as exceções. Na primeira cidade, o número de casos ficou praticamente estável (queda de 289 para 288), enquanto em Parnaíba, baixou de 7 para 4. Jandira teve a maior elevação, de 5 para 12, seguida por Carapicuíba, de 33 para 65. Os furtos de veículo também tiveram alta expressiva em Barueri (de 18 para 27) e em Cotia (de 9 para 14). Ainda de acordo com os dados da secretaria, outros dois tipos de crime registraram ligeira queda entre abril e maio. Os furtos baixaram 2%, de 1220 para 1195. E os roubos de veículo tiveram redução de 2,6%, de 299 para 293.

Página 3 de 54