Página 10 de 29

Convênio foi retomado pelo prefeito Lins, que denunciou falta de agentes na cidade

PM

PM (Foto: Divulgação)

A Polícia Militar vai voltar aplicar multas de trânsito em Osasco. A retomada do convênio para que os PMs façam esse tipo de autuação foi acertada em reunião, na quinta-feira, entre o prefeito Rogério Lins e representantes da corporação. E divulgada na manhã desta segunda-feira pela prefeitura. Segundo Lins, a medida vai suprir a falta de agentes de trânsito na cidade. São, atualmente, apenas 9 homens nas ruas. Mas ele nega que o objetivo seja intensificar a aplicação de autuações.

“O convênio com a PM não será uma ação para multar ou onerar Osasco. Terá o objetivo de garantir a segurança nas ruas da cidade e fazer com que as pessoas respeitem as leis”, explicou. No final da administração anterior, a prefeitura foi obrigada, pelo Ministério Público, a demitir agentes de trânsito contratados sem a realização de concurso público. Foram cerca de 100 demissões. E apenas os 9 concursados puderam ser mantidos.

No encontro, Lins reuniu-se também com representantes da Guarda Civil Municipal (GCM) e da Polícia Civil, na sede do 42º BPM/M (Batalhão de Polícia Militar Metropolitano), para formalizar outras parcerias envolvendo segurança pública. “Quando perguntamos à população qual é sua maior preocupação, recebemos quase sempre a mesma resposta, que é a falta de segurança. Por isso, precisamos agir em conjunto. Somos muito cobrados para que haja avanços nessa área, mas somente juntos vamos combater a criminalidade em Osasco”, disse o prefeito.

Dentre as ações já em andamento, ele destacou a “Operação Amanhecer Seguro”, que desde 5 de janeiro realiza rondas em pontos de ônibus nas primeiras horas do dia; e as  atuações em combate aos “pancadões”, iniciada no dia 20. Nesse caso, Lins explicou que seu governo já tem em execução um trabalho intersecretarial para desenvolver opções de lazer e qualidade de vida sem que eventos perturbem vizinhos. Já as polícias detalharam ações de combate ao crime que incluem patrulhamentos ostensivos para diminuir roubos praticados por motociclistas, fiscalização de condutores alcoolizados e também combate aos pancadões.

Convênio foi retomado pelo prefeito Lins, que denunciou falta de agentes na cidade

PM

PM (Foto: Divulgação)

A Polícia Militar vai voltar aplicar multas de trânsito em Osasco. A retomada do convênio para que os PMs façam esse tipo de autuação foi acertada em reunião, na quinta-feira, entre o prefeito Rogério Lins e representantes da corporação. E divulgada na manhã desta segunda-feira pela prefeitura. Segundo Lins, a medida vai suprir a falta de agentes de trânsito na cidade. São, atualmente, apenas 9 homens nas ruas. Mas ele nega que o objetivo seja intensificar a aplicação de autuações.

“O convênio com a PM não será uma ação para multar ou onerar Osasco. Terá o objetivo de garantir a segurança nas ruas da cidade e fazer com que as pessoas respeitem as leis”, explicou. No final da administração anterior, a prefeitura foi obrigada, pelo Ministério Público, a demitir agentes de trânsito contratados sem a realização de concurso público. Foram cerca de 100 demissões. E apenas os 9 concursados puderam ser mantidos.

No encontro, Lins reuniu-se também com representantes da Guarda Civil Municipal (GCM) e da Polícia Civil, na sede do 42º BPM/M (Batalhão de Polícia Militar Metropolitano), para formalizar outras parcerias envolvendo segurança pública. “Quando perguntamos à população qual é sua maior preocupação, recebemos quase sempre a mesma resposta, que é a falta de segurança. Por isso, precisamos agir em conjunto. Somos muito cobrados para que haja avanços nessa área, mas somente juntos vamos combater a criminalidade em Osasco”, disse o prefeito.

Dentre as ações já em andamento, ele destacou a “Operação Amanhecer Seguro”, que desde 5 de janeiro realiza rondas em pontos de ônibus nas primeiras horas do dia; e as  atuações em combate aos “pancadões”, iniciada no dia 20. Nesse caso, Lins explicou que seu governo já tem em execução um trabalho intersecretarial para desenvolver opções de lazer e qualidade de vida sem que eventos perturbem vizinhos. Já as polícias detalharam ações de combate ao crime que incluem patrulhamentos ostensivos para diminuir roubos praticados por motociclistas, fiscalização de condutores alcoolizados e também combate aos pancadões.

Osasco revê velhas conhecidas do Minas

Osasco revê velhas conhecidas do Minas (Foto: Luciano Benazzi)

Alex da Academia e professora Régia formam a bancada do partido na Câmara Municipal

Professora Régia abraça Rogério Lins na posse

Professora Régia abraça Rogério Lins na posse (Foto: Renato Silvestre)

(políEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

Rogério Lins (PTN) bem que tentou, mas não terá os 21 vereadores de Osasco ao seu lado, pelo menos em seu primeiro ano na prefeitura. Partido do ex-prefeito Jorge Lapas, a quem Rogério derrotou no último pleito municipal, o PDT decidiu fazer oposição ao governo. Com isso, a bancada do partido na Câmara Municipal composta por Alex da Academia (PDT) e Professora Régia, não fará parte da base aliada ao prefeito. A decisão de não apoiar o novo governo foi confirmada pelo presidente municipal da legenda, em Osasco, Milton Cavalo e, segundo ele, a executiva fechou questão sobre o assunto. Na prática, significa dizer que tanto Alex, quanto Régia, deverão seguir a determinação do partido na Câmara Municipal. Ao Diário da Região, Cavalo afirmou que o PDT fará uma “oposição construtiva” ao governo. O PDT é o primeiro partido que confirma, oficialmente, a opção pela oposição em Osasco. Outras legendas que apoiaram Lapas na eleição, como o PSD, devem definir posicionamento na próxima semana.

Ao contrário do que divulgou o Diário da Região, quem ainda não recebeu da prefeitura foram os artistas que participaram do Canto de Julho

Gustavo Anitelli

Gustavo Anitelli (Foto: Divulgação)

(políEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.)

A ex-secretária da Cultura de Osasco, Elizabeth Alves de Souza, disse que o prefeito Jorge Lapas pagou todos os artistas que se apresentaram durante a Virada Cultural de 2015. A afirmação dela veio em resposta a publicação de reportagem anterior na qual o atual secretário da Cultura, Gustavo Anitelli, disse que a categoria ainda não havia recebido os cachês.  “Quero acreditar que Anitelli tenha se confundido com outro projeto, o Canto de Julho.

Em relação a esse último, é importante afirmar que todas as medidas formais para garantia dos pagamentos dos artistas foram tomadas pela antiga administração. A execução do orçamento municipal, entretanto, segue regras próprias, como a ordem cronológica, que deve ser obedecida até que alcance os referidos serviços”, escreveu a ex-secretária. Anitelli também procurou a reportagem para esclarecer o mal entendido e disse que a pendência realmente existe, mas com os artistas do Canto de Julho. Estes, realmente, ainda não foram pagos. Dívida que ele pretende saldar o mais rápido possível.

Já quanto ao Osasco Cultural, espécie de Virada Cultural da cidade o novo secretário reafirmou a intenção de fazer uma segunda edição. Ele correrá atrás de verba junto ao Ministério da Cultura. Meta é reunir a categoria em diversos eventos em vários bairros. Anteontem, em entrevista ao Diário, o prefeito Rogério Lins, disse que a Cultura aliada ao Esportes serão duas secretarias nas quais pretende investir em projetos na periferia do município. São pastas capazes de ocupar os jovens de forma saudável.

Página 10 de 29