Quinta, 02 Março 2017 19:01

Doença de pele é causa que leva mais animais ao veterinário Destaque

Dermatites são muito comuns em cães e gatos e, muitas vezes, por não conhecer os sintomas ou até a doença, os tutores não realizam o tratamento adequado a cada caso. Sabe quando a pele do animal fica rosada ou aparece uma “feridinha”? Essa é a hora de levar seu cão ou gato para uma visita ao veterinário.

Para entender tudo sobre essa doença, a Dra. Fernanda Cioffetti Marques, membro da COMAC (Comissão de Animais de Companhia) do SINDAN e Gerente de Marketing da Vetnil, responde as principais perguntas de cuidados e tratamento das dermatites em animais:

Quais os tipos de dermatites que acometem cães e gatos?

As doenças de pele são as causas mais frequentes de consulta ao médico veterinário. Podemos verificar doenças de pele de diferentes etiologias: alérgicas, infecciosas e parasitárias por exemplo.

E como isso pode ser percebido, ou seja, quais são os principais sintomas?

Podem causar sintomas como coceira, vermelhidão, alteração de coloração da pele, edema, escamação e até mesmo queda excessiva de pelo, localizada ou generalizada nos casos mais agudos.

Existem tratamentos específicos para cada tipo de dermatite?

Existem tratamentos que variam de acordo com o tipo de doença e agente que acomete a pele. Pode haver mais de um agente associado. Há tratamentos tópicos e sistêmicos e que na maioria das vezes são feitos por longos períodos.

Durante o tratamento, como funciona a medicação do animal? Ele passa a ser medicado em período de crises ou há um processo de prevenção e cura?

Dependendo da origem da doença o cuidado pode ser para a vida toda e, na maioria delas, os tratamentos podem ser longos e associar tratamento tópico com uso de xampus específicos e medicações orais para que se obtenha a cura.

Falando sobre esses produtos específicos para pets que sofrem com doenças de pele, tem crescido no mercado o número de produtos dedicados a esta patologia?

Além dos xampus específicos, existem também hipoalergênicos, medicamentos e até mesmo nutracêuticos e suplementos direcionados aos problemas de pele e que foram desenvolvidos especialmente para cães e gatos.

Muitas pessoas falam que os animais com pelo claro são mais propensos a desenvolver problemas na pele. Isso é verdade? E existem raças específicas com histórico da doença?

Não há uma correlação científica que comprove que a cor dos animais possa influenciar, no entanto, algumas raças apresentem predisposição a algumas doenças de pele.

O calor também pode desenvolver doenças de pele nos animais?

No calor, podemos notar predisposição ao surgimento, assim se deve ter uma atenção especial aos cuidados de higiene neste período.

Como a má alimentação está ligada ao desencadeamento de diversas doenças, existe algum cuidado indicado para animais com dermatites?

Sem dúvida a boa nutrição é uma aliada na manutenção da saúde e pele dos cães e gatos e a suplementação também é importante para este processo. A deficiência de nutrientes importantes pode ser manifestada como queda excessiva de pelos, pele ressecada e até mesmo desencadear alguma hipersensibilidade alimentar.

E no geral, o que os tutores podem fazer para prevenir essas doenças em cães e gatos?

Para evitar a doença, deve-se acima de tudo fornecer uma boa alimentação, manter a higiene do ambiente e usar somente produtos como antiparasitários externos de qualidade e de produtos dermatológicos que sejam especificamente desenvolvidos para cães e gatos, pois além de terem pH adequado, possuem também a garantia do laboratório fabricante. Qualquer alteração percebida no pet como coceira excessiva, queda de pelo, mudança na coloração da pele é um sinal de alerta e o tutor deve sempre consultar um médico veterinário. As visitas regulares auxiliam principalmente na prevenção e tratamento precoce.

Fonte: Nort

Autor

Redação