Segunda, 06 Março 2017 04:41

Fim da CMTO? Presidente da Câmara recusa projeto de Lins Destaque

Inédito - Dr. Lindoso, presidente da Câmara Municipal de Osasco, devolveu projeto que colocaria fim à CMTO. Projeto veio de Lins.

A Câmara Municipal de Osasco devolveu ao Executivo o Projeto de Lei nº 07/2017, que autorizava a dissolução, liquidação, extinção e a sucessão dos direitos e obrigações da Companhia Municipal de Transportes de Osasco (CMTO).


Vale lembrar que a CMTO foi criada para ampliar a qualidade do transporte público em nossa cidade e – de alguma forma -  enfrentar o duopólio, que há anos domina o transporte coletivo por rodas em Osasco. Osasco já foi também referência em transportes alternativos com os micro-ônibus.


O Projeto foi enviado em caráter de urgência, mas o legislativo – através da sua presidência – solicitou informações mais detalhadas na justificativa do Projeto. Como um estudo detalhado da viabilidade da Companhia em aumentar sua receita, utilizando outros meios de transporte como veículos menores e também analisar o estudo que levou a Prefeitura à conclusão de que é preciso vender a CMTO.


O atual Legislativo de Osasco, ao devolver o Projeto de lei do Prefeito, considera que a população precisa ter mais alternativas de transporte público. Com ampliação e valorização da qualidade desse benefício social.
O gesto político dos vereadores, aparentemente, revela que todos os Projetos de Lei devem ser avaliados com mais critério. Isso é uma obrigação do poder legislativo: fazer o debate com a sociedade e o governo, para que projetos que se transformarão em Lei atendam de fato a interesses e desejos de toda a população.Cogita-se inclusive, a volta de micro-ônibus com valor diferenciado em Osasco.


Até porque, em janeiro a prefeitura emitiu uma opinião inflexível sobre a necessidade de reduzir a tarifa de R$ 4,20 do transporte municipal, criou uma comissão e até agora permanece em silêncio sobre sua decisão definitiva.  Muros estampam que R$ 4,20 é roubo ou R$ 4,20 Não. E nossa prefeitura permanece em silêncio absoluto, revelador de sua fragilidade e incapacidade política.

Coletivo Mídia Independente de Osasco

Autor

Redação