Sábado, 11 Março 2017 14:30

Casal pede demissão para velejar o mundo com seu cão e estreia canal no YouTube Destaque

Muitas pessoas sonham em se tornar um alto executivo, ter equipe e um ótimo salário mas não imaginam o quanto de trabalho, foco e dedicação é necessário para chegar tão longe. Os encontros com os amigos se tornam raros, mal vê a família e praticamente vive dentro do trabalho. Afinal o que é este sucesso que tanto buscamos?

Cansados deste círculo vicioso, onde se gasta mais para buscar a paz e por isso é preciso trabalhar mais para poder gastar ainda mais, Beto e Thais resolveram buscar uma vida simples, próximos a natureza, a essência humana de sobrevivência e gratidão de poder viver dia após dia como se fossem finais de semana.

O plano de morar em um veleiro e viajar pelo mundo no final de 2015 foi inspirado em jovens casais que tem feito o mesmo não apenas a bordo de veleiros mas também em Kombis, hostels e bicicletas.

Depois de estudar as possibilidades, o casal optou pela vida a bordo pois um veleiro é praticamente auto-sustentável e, no caso do Shogun (um veleiro Peterson de 33 pés), há espaço suficiente para eles e principalmente o cachorro – um Golden Retriever chamado Google.

“Nós queríamos uma casa móvel, com quintal infinito. Eu amo praia e o Google ama nadar. O Beto desde pequeno adora consertar coisas e tecnologia. Um Veleiro tem coisas para consertar todo dia e construído sob muita tecnologia”, comenta Thais.

Durante o ano de 2016, eles executaram o planejamento da viagem, praticamente em segredo. Começaram a procurar o barco em janeiro, curso de vela em fevereiro, compra do Veleiro Shogun em abril, Arrais em junho e passaram vários finais de semana a borda para realizar algumas reformas.

O desapego das coisas materiais também começaram desde o início de 2016. Thais concentrou-se nas roupas e nos eletrodomésticos e Beto no carro e nos imóveis. Praticamente tudo foi vendido até o fim do ano e o dinheiro aplicado rendeu o suficiente para navegar pelo mundo.

De acordo com o planejamento, em janeiro de 2017, ambos iriam pedir demissão e começar a viagem a partir de maio.

Beto Toledo, 35 anos, era diretor geral de mídia, trabalhava há nove anos na VML, a melhor agência digital do Brasil segundo uma avaliação de clientes na pesquisa do grupo consultores. Foram necessários três meses para sua saída, tempo suficiente para ser substituído e não gerar problemas para os clientes.

Já Thais Cañadó, 25 anos e designer de moda na Scarfme, conseguiu se organizar para ficar até a troca da coleção e se desligar da empresa um mês antes da viagem.

A viagem começa a partir de Santos (litoral de SP) com destino ao Caribe, à Austrália e à Europa.

Porém diferente das travessias mais conhecidas, como da Familia Schurmanm, eles irão velejar pela costa, parando nas melhores praias do caminho, como por exemplo nos primeiros meses em Ilha Bela, Ubatuba, Angra e Paraty. A cada semana publicarão um vídeo no canal “Sailing Around The World” do YouTube mostrando o dia a dia da vida a bordo e principalmente os lugares visitados, sempre na perspectiva de quem chega na praia pelo mar e não pela terra.

TerraTRA

Autor

Redação