Página 7 de 69

Sem vínculos partidários, o maior coletivo de juventude de Osasco, o Coletivo Pneu, lançou nota hoje, 09, com duríssimas críticas ao Governo Lins. Para os jovens, em sua maioria estudantes da rede pública da cidade, Rogério Lins não teria anunciado o secretariado por causa de sua composição ‘provinciana’ e de rachas internos.

A nota trouxe ainda críticas sobre as nomeações de parentes. Cita, como exemplo, a filha de Francisco Rossi, Ana Paula Rossi (nomeada Secretária de Educação) e a vice-prefeita, esposa do ex-prefeito.

No primeiro escalão do Governo Lins ainda tem o informal e notório casal Gelso Lima e Emília Cordeiro como Secretário de Governo e Secretária de Comunicação, respectivamente.

Há mais de uma semana Lins tenta formatar seu governo; mas rachas internos impedem que o primeiro escalão seja escolhido. O prefeito só conseguiu, até aqui, anúncios em conta-gotas.

O Coletivo Pneu declarou que o único caminho possível numa cidade que tem um governo ‘indeciso’ e com ‘duríssimas disputas internas’ é a oposição popular.

Entre as razões das disputas, segundo apurou o CMIO, seriam as rupturas entre Rossi, pessoas ligadas ao PSDB e o PT.

Outro ponto abordado foi a Cultura. Para os jovens, a Secretaria da Cultura de Osasco não pode ter nomeações baseadas em destaques nas redes sociais ou indicações para agraciar partidos que -até aqui- não se posicionaram de fato ou que sequer a população soube que estariam entre os apoiadores durante a eleição.

O PT foi citado como o partido que aceitaria -ou estaria- no balcão de ofertas de cargos, disputando -entre outros- a chefia da Secretaria da Cultura.

 

CMIO - Coletivo de Mídia Independente de Osasco

CRÔNICA - Em Osasco, 107 anos do voo de Dimitri. Na Europa, morre Mario Soares, aos 92 anos.

               Dimitri Sensaud de Lavaud                                                         Mario Soares

O colega jornalista, Gabriel Martiniano, publicou no Planeta a história de Dimitri Sensaud de Lavaud, em homenagem ao primeiro voo da América Latina, ocorrido em Osasco no dia 07 de janeiro de 1910, às 5:50 da manhã. Dimitri foi um engenheiro fantástico que nasceu na Espanha em 14 de setembro de 1882 e veio para Osasco no final do século XIX com quinze anos, estabelecendo-se em Osasco. Filho do comendador francês Evaristhe Sensaud de Lavaud com a russa Alexandrine Bognoff, Dimitri viveu em vários países da Europa, antes de mudar para o Brasil.  Falava russo, inglês, francês, espanhol, grego, italiano e português.

Costumo dizer que a vida é sempre surpreendente. No dia em que comemoramos o primeiro voo da América Latina, morre na Europa, aos 92 anos, o grande Mario Soares, ex-presidente e ex-primeiro ministro de Portugal. Como canta Milton Nascimento, o trem da chegada é o mesmo trem da partida.

Dimitri Sensaud de Lavaud realizou o primeiro voo da América Latina em Osasco na descida da Rua João Baptista. Mas, também era um grande inventor. Inventou o câmbio automático. Mudou a história da aviação no Brasil e virou um dos principais personagens da nossa cidade. Sua casa, o chalé Brícola, construída com tijolos da Olaria de Antônio Agu, sócio de seu pai, é hoje o Museu de Osasco, criado em junho de 1976, pelo prefeito Francisco Rossi. Dimitri faleceu em Paris, aos 64 anos.

Mario Soares, foi um dos líderes da Revolução dos Cravos, que tirou Portugal de uma Ditadura de 48 anos e trouxe o país de volta para a democracia nos anos 70 e depois para a União Europeia, iniciada em 1986 através da adesão do bloco comum europeu. Soares foi preso 12 vezes e fundou o Partido Socialista Português na Alemanha em 1973. Aos 92 anos. Portugal perde o líder Mario Soares, que cumpriu dois mandatos de cinco anos como chefe do governo português. O cravo, símbolo da Revolução Portuguesa, serviu de inspiração na criação do PDT de Leonel Brizola.

Os dois mudaram a história de seus respectivos países, com seus gestos inovadores e políticos.  Dimitri trazendo para a América e para Osasco o avião, invenção fantástica de Santos Dumont, quatro anos antes.  Mario Soares, criando o Partido Socialista e liderando a Revolução dos Cravos, que acabou com uma Ditadura de 48 anos em Portugal e deu início à descolonização das colônias portuguesas na África.

Chalé Brícola, residência de Dimitri Sensoud de Lavaud. Hoje, Museu de Osasco.

 

Marco Aurélio Rodrigues Freitas é jornalista e professor das redes municipal e estadual de São Paulo. Escreve todas as semanas no site Planeta Osasco.   

O inventor Dimitri Sensaud de Lavaud, nascido em Valladolid, Espanha, em 1882, veio para a Vila Osasco (então parte do município de São Paulo) depois de obter a cidadania brasileira no final do Século 19.

Filho de um Barão, Dimitri possuía os recursos e a disposição para ser, ao mesmo tempo, um engenheiro, inventor e aviador. De ascendência francesa, ele foi responsável por projetar e desenvolver o primeiro -e genuinamente- avião brasileiro.

Segundo historiadores, Dimitri foi um prolífico inventor que registrou, ao menos, 1000 patentes industriais, incluindo inovações automobilísticas e da própria aviação. Teria sido o inventor do câmbio automático, popular nos carros de hoje.

Seu voo, acompanhado de testemunhas e da imprensa da época, foi registrado apenas em textos da época. Poucas imagens sobraram daquilo que foi uma decolagem suave e um pouso complicado.

Curiosidade;

O ‘avião’ (batizado de Aeroplano São Paulo) usou o declive da rua João Batista (e arredores) para ganhar mais velocidade e poder decolar. Chegou a uma altura de 3 a 4 metros do chão, percorrendo cerca de 105 metros em 6 segundos e 18 décimos.

Atualmente existe uma réplica do aeroplano na cidade de São Carlos, no Museu da TAM (fechado para o público desde o final de 2016).

Muitos moradores de Osasco desconhecem a façanha que -sem nenhuma dúvida- projetou o nome da Vila Osasco para o mundo todo. O Aeroplano São Paulo teria feito o primeiro voo do Hemisfério Sul, sendo que o primeiro voo da história também foi realizado por um brasileiro, em Paris, por Santos Dumont.

Por Gabriel Martiniano – editor do PlanetaOsasco.com

Quando uma idealização se torna realidade, grupos de pessoas ajudam a moldar o futuro de uma cidade, estado ou mesmo da nação. Como exemplo de sucesso, o caso da ANDA - Agência de Notícias de Direitos Animais, hoje, o maior portal do mundo sobre o tema.

Idealizada pela jornalista Silvana Andrade, a ANDA informa para transformar. Diariamente os textos atingem centenas de milhares de pessoas, inclusive sendo replicados na grande mídia com constância ou servindo de pauta.

A agência é uma referência suficiente para ser classificada como o maior caso de sucesso de um grupo de pessoas engajadas em prol de um ideal comum na internet brasileira. É, portanto, formadora de opinião e molda valores mesmo numa sociedade conturbada. Um oásis para quem deseja acompanhar com maior profundidade a causa animal.

A ANDA difunde na mídia os valores de uma nova cultura, mais ética, mais justa e preocupada com a defesa e a garantia dos direitos animais. É o primeiro portal jornalístico do mundo voltado exclusivamente a fatos e informações do universo animal.

É também, um importante canal estabelecido com jornalistas de todas as mídias e coloca em pauta assuntos que até então não tiveram o merecido espaço ou foram mal debatidos na grande imprensa.

O caso em questão é uma prova da capacidade que grupos de pessoas, com um objetivo e muita disciplina, podem trazer benefícios a toda a sociedade. Seja nas ruas, seja na internet.

O principal parceiro do PlanetaOsasco, CMIO (Coletivo de Mídia Independente de Osasco), reconheceu na ANDA um exemplo para seguir. Osasco, em breve, poderá estar em um novo nível de jornalismo -ético- e distante das propagandas de governos que sempre lutaram para melhorar a própria imagem.

O futuro de Osasco depende das ações de sua população e, principalmente, de seu nível de engajamento em ações sólidas, disciplinadas e éticas. Uma nova cidade se faz agora.

 

Redação PlanetaOsasco.com

Manifestação parou as avenidas Antônio Agu e Autonomistas e foi até o terminal de ônibus da Vila Yara.

Cerca de 150 manifestantes, em sua maioria estudantes, pediam o cancelamento do aumento e a abertura das contas do transporte público em Osasco.

No final da tarde, um interlocutor do novo governo apontava -com certo alívio- que a expectativa de 1.000 pessoas não tinha sido atingida.

Os atos contra o preço da tarifa (definidas por decreto nos últimos dias de dezembro, ainda no Governo Lapas) pressionam a Câmara Municipal de Osasco e a Prefeitura Municipal de Osasco para cancelar o aumento.

O vereador Ralfi Silva (PTN), também do partido do prefeito Rogério Lins, protocolou pedido de redução da passagem dos atuais R$4,20 para R$3,80 (mesmo valor praticado em 2016).

Politicamente, a ação do vereador foi vista como uma abertura do governo Lins em reduzir a passagem diante dos desafios de imagem que o atual prefeito enfrenta. Se RL articular a redução da passagem, conquistaria simpatia de parte da população.

A manifestação foi pacífica. Não foi registrada nenhuma ocorrência durante toda a manifestação.

 

CMIO – Coletivo de Mídia Independente de Osasco

Nota - Com grande alarde na imprensa regional, Lins anunciou que Osasco teria sistema biométrico para evitar fantasmas. No entanto, o sistema não foi implementado às pressas.

Rogério Lins se esqueceu de avisar que o Ministério Público já tinha manifestado a necessidade de uso de biometria para registro de ponto na Prefeitura e, inclusive, na Câmara Municipal.

Licitações tinham sido encaminhadas há tempos para a implementação, e estudos apontavam que a medida poderia evitar justamente casos como os denunciados em Osasco. Trata-se, portanto, de um cumprimento de exigência do MP, e não uma brilhante sacada do mandatário... 

Vale também lembrar que tudo o que diz respeito à gestão pública sai a partir do orçamento público da cidade. Trata-se de mais uma despesa para a cidade de Osasco no ano fiscal de 2017 e se tornou necessária a partir dos erros e crimes apontados pelo próprio MP.

 

 

CMIO – Coletivo de Mídia Independente de Osasco

Página 7 de 69