Sexta, 17 Novembro 2017 19:37

Dilma detona decreto: Temer lança o “Menos Médicos”, atentando contra a saúde da população

Temer lança o “Menos Médicos”: típico de governo golpista

Presidente usurpador vai assinar decreto que proibirá a criação de novas faculdades de medicina no Brasil por pelo menos cinco anos

por Dilma Rousseff, no Blog da Dilma

O presidente usurpador decidiu assinar um decreto proibindo a criação de cursos de medicina no Brasil por um período de cinco anos.

É exatamente o contrário do que o Brasil precisa. O governo golpista está cometendo com este decreto um atentado contra a saúde da população.

O Brasil tem no máximo a metade do número de médicos de que necessita. E a esmagadora maioria dos milhares de médicos brasileiros em atividade trabalha nas capitais e nos grandes centros urbanos.

Quando criamos o programa Mais Médicos, que o governo golpista esvazia pouco a pouco a cada dia, 700 municípios brasileiros não tinham nenhum médico, 1.900 municípios tinham apenas um médico e outras tantas cidades só contavam com um médico alguns dias por semana.

Parte fundamental do programa Mais Médicos previa a formação de pelo menos mais 11 mil médicos até este ano, e isto se daria com a criação de cursos de medicina, privados e públicos, em municípios do interior que não recebiam atendimento adequado de profissionais de saúde.

Foi o que fizemos, criando cursos em 36 cidades que até então não tinham faculdades de medicina públicas ou privadas.

O Mais Médicos tratou de atacar o déficit de profissionais nas periferias das capitais e das maiores cidades brasileiras, no interior, nos departamentos de saúde indígena, nas comunidades quilombolas e nos assentamentos da reforma agrária.

Colocamos 18.240 médicos em unidades básicas de saúde, por todo o Brasil. Em 2015, o programa atendia uma população de 63 milhões de brasileiros que, se não fosse por isto, não teriam acesso a médico algum.

Contratamos 11 mil médicos cubanos e, por isso, somos gratos ao Governo e ao povo cubanos pela solidariedade. Contratamos também médicos de alguns outros países. Não havia número suficiente de médicos brasileiros para participar do programa e a maioria preferira ficar nas áreas onde já se concentravam.

Por isso, a importância de criar novos cursos e novas vagas para estudantes de medicina, sobretudo no interior.

Agora, aplicam a emenda do teto de gastos e cortam, sem dó nem piedade, os recursos para melhorar o atendimento à saúde da população, comprometendo o futuro do Brasil.

Ao mesmo tempo, gastam alguns bilhões com a compra de votos para lhes garantir a impunidade e outros tantos bilhões com a propaganda enganosa sobre o seu governo.

Nós fizemos o MAIS MÉDICOS, programa aprovado pela população atendida. O Governo golpista, fiel à sua vocação antipopular, coloca em prática o “Menos Médicos”.

PS de Conceição Lemes:

Em 2013, quando a presidenta Dilma criou o Programa Mais Médicos, o Brasil tinha 400 mil profissionais. A meta era chegar a 600 mil médicos, em 2026. Com isso, atingiríamos o patamar aceitável de 2,7 médicos por mil habitantes.

Para isso, porém, seria necessário abrir mais 11 mil vagas de graduação em medicina até o fim deste ano, 2017.

O governo Dilma autorizou ou iniciou processos de abertura de 75% dessas vagas.

Agora, com a proibição de novos cursos por, pelo menos, cinco anos, Temer abrirá mão das 25% restantes. Ou seja, aproximadamente 1.650 vagas.

Somando as vagas autorizadas e os processos de autorização iniciados pelo governo Dilma mais de 70 acidades do interior passaram a ter, pela primeira, cursos de medicina públicos ou privados.

Autor