Redação

Redação

Exclusivo – O Governo de Rogério Lins indicou nomes historicamente vinculados ao ex-deputado João Paulo Cunha (PT) como contrapartida para a manutenção do apoio de grupos. As informações são do Coletivo de Mídia Independente de Osasco e foram confirmadas por fontes distintas.

Os dados são oficiais, publicados no IOMO (Imprensa Oficial do Município de Osasco) e denotam a extensão do acordo político. Para a população da cidade, a informação não é uma novidade.

Com a confirmação de mais uma dezena de nomeações no IOMO, as indicações dos novos comissionados não levam em consideração a competência técnica, mas, sim, os acordos políticos entre Rogério Lins e tais grupos, através de seu Secretário de Governo, Gelso Lima, centralizador das listas de indicações e que ficou conhecido na semana passada por seu envolvimento no vídeo da confusão do corredor da PMO, publicado no PlanetaOsasco.

O caso é grave.

O ex-prefeito Francisco Rossi (PR) teria advertido pessoalmente Lins de que a eventual parceria do governo com João Paulo Cunha seria onerosa para os cofres públicos, como resultado, Rossi e a vice prefeita foram afastados do núcleo duro das decisões. Celso Giglio (PSDB) não teria se manifestado sobre a parceirada de Lins, até mesmo por que enfrenta dura oposição dentro do próprio partido sobre o atual Secretário de Saúde, indicado por ele. Já para Emidio de Souza, o ideal seria o PT não fazer parte do governo ou aceitar cargos. Até mesmo na capital paulista o caso gera desconforto. O prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), foi pego de calças curtas após apoiar o prefeito de Osasco nas eleições. Pela segunda vez (a primeira foi a detenção de Lins).

E é justamente agora que o PT em Osasco vive um momento de decisão; em disputa interna, marcada para domingo, existem duas alas. A chapa formada pelo próprio grupo de João Paulo Cunha (que garantiria apoio e cargos com Rogério Lins) e, do outro lado, a composição formada pelo deputado Marcos Martins, o ex-prefeito Emidio de Souza e lideranças históricas do partido, que querem oposição ao governo.

E é por isso que RL decidiu abrir as comportas dos cargos e liberar apoio total e irrestrito para o grupo de João Paulo Cunha. Caso JP seja derrotado, o PT de Osasco se voltaria para uma discussão ideológica e de oposição ao prefeito. E, nesse caso, sai mais barato para Lins oferecer dezenas de cargos pagos com dinheiro público do que correr o risco de ter uma oposição robusta. A tentativa de anular Rossi comprova esse medo.

O processo seletivo marcado para terça-feira também estaria sofrendo alterações de última hora para contemplar indicações específicas.

O último IOMO constata algumas novas nomeações, não necessariamente ligadas ao caso;

Com informações do Coletivo de Mídia Independente de Osasco

Checagem DN

IMG edição de imagens CMIO - 1ª foto publicada no Webdiário/ 2ª foto Época - CMIO Documentos

Apresentado como espetáculo infantil, O Pequeno Príncipe agrada a todas as idades.

Com um elenco de primeira e participação de profissionais de alto nível na preparação do elenco, a peça tem coreografias e figurinos excelentes. A história se passa no deserto do Saara, onde um piloto de avião sofre uma pane no motor e é obrigado a fazer um pouso de emergência; sendo assim, ele precisa ficar por lá alguns dias até consertar seu avião. Logo, conhece o Pequeno Príncipe, um garotinho que vem de um planeta bem pequeno e distante do nosso.

“Só se vê bem com o coração; o essencial é invisível aos olhos.” Com esta história mágica e sensível, não há adulto que não se comova, e criança que não se encante com esta fábula.

O espetáculo musical O Pequeno Príncipe se apresenta na sexta, dia 28 de abril às 20h, no Teatro Municipal de Osasco, inaugurando uma nova fase para o principal espaço cultural da cidade. Os ingressos já estão à venda e o valor pode chegar a R$ 50 (inteira) e R$ 25 a meia.

No entanto, o site ‘Ingresso das Artes’ está comercializando –apenas pela internet- os ingressos por R$20,00 para todos os públicos (veja a página do evento).

A peça tem o potencial de atrair públicos variados para o espaço cultural mais tradicional da cidade. O Teatro Municipal Glória Giglio, depois de uma longa reforma, está ainda mais aconchegante.

O site PlanetaOsasco.com recomenda o espetáculo para todos os públicos.

 

Por Rafaela N.

Eram cinco representantes do governo para explicar para o povo insatisfeito as razões de Lins não receber na data marcada. Entenda o caso;

Um vídeo que mostrava membros do governo de Lins e vereadores discutindo com a população viralizou na tarde de hoje. Com data marcada, o prefeito furou e não recebeu representantes dos segmentos da Mulher, Igualdade Racial e Diversidade Sexual.

Sem uma justificativa clara para o prefeito marcar e não atender, assessores afirmavam que a data não constava na agenda oficial do mandatário precário.

O secretário de governo, Gelso Lima, os vereadores Lindoso, Ribamar e Ralfi, além de Bognar, aparecem na filmagem. Gelso é visto no vídeo dialogando de um modo pouco tradicional com um dos representantes, que se exalta.

A Vereadora Régia é vista na filmagem; segundo apuração do Coletivo de Mídia Independente de Osasco, seu papel era de acompanhar os representantes das Mulheres, Diversidade Sexual e Igualdade Racial.

A assessoria do prefeito não se manifestou sobre o caso. Veja o vídeo abaixo;

CMIO – COLETIVO DE MÍDIA INDEPENDENTE DE OSASCO - Via PlanetaOsasco.com

 

 

Opinião do professor Marco Aurélio - Gosto muito de uma música de Belchior que começa com a seguinte frase: “Eu sou apenas um rapaz latino americano, sem parentes importantes e vindo do interior...” (1976). Há outra frase do escritor Mario de Andrade, em Macunaíma (1928), que adoro:” Pouca saúde e muita saúva, os males do Brasil são...”

Sinto que o Brasil de hoje tem um pouco das duas frases. Quando o prefeito de Osasco afirma na internet que qualquer aumento para os servidores municipais ou alguma revisão no plano de carreira vai ficar para 2018, por causa dos limites do orçamento. Ou quando o Governo Federal fala em Reformar a Previdência de qualquer jeito, aos trancos e barrancos, como li no Estadão sábado. Lembro sempre da música do Belchior.

Governos fracos politicamente sempre usam a desculpa do orçamento para não resolver de verdade os problemas do povo. Governos fracos politicamente conversam muito com empresários, mas fogem do povo.

Temer quer ser dono da transposição do rio São Francisco, mas também devolver o Brasil para o século XIX, com a escravidão de mulheres e homens brancos e negros até os 65 anos.

Rogério Lins desmonta as políticas públicas que incluíram a população pobre da cidade em 12 anos e acha que marketing e pós-verdade resolvem tudo; tenta enganar o povo colocando umas plantinhas na Praça do Salgado (reformada na gestão anterior, por causa da nova avenida), espalhando várias faixas caras, com a frase “MAIS QUALIDADE DE VIDA. Revitalização da Praça do Salgado”.

 

Foto: Marco Aurélio

 

Como povo, vou copiar Belchior e cantar:

Não me peça que lhe faça uma canção como se deve
Correta, branca, suave, muito limpa, muito leve
Sons, palavras, são navalhas e eu não posso cantar como convém
Sem querer ferir ninguém...”

O povo, muitas vezes, sente-se como “um rapaz latino americano”, é tolhido, enganado, humilhado com projetos, gestos reformas dos governos, que não o escuta. Temer não tem mais jeito, não pode nem sair de casa. Na Paulista, dia 15 de março, quase 300 mil pessoas gritavam juntas: FORA TEMER. Na manhã do dia 25 de março, num ato apenas dos professores municipais com alunos e familias, quase 30 mil gritavam a mesma coisa: FORA TEMER.

Em São Paulo, o povo já percebeu que o negócio do Dória é fazer flashes para as câmaras e não governar. Nas escolas públicas do Estado do governador Alckmin falta papel higiêncio nos banheiros dos professores e alunos, desde 2015. Em Osasco, todos dizem que o prefeito não tem propostas para a cidade; mas num momento de sinceridade, como ele mesmo gosta de dizer, disse que não vai dar para dar aumento nenhum pra ninguém por causa do orçamento. Não é verdade, quando um governo decide pelos trabalhadores, ele inverte prioridades.

O povo de Osasco já percebeu que neste governo a prioridade não é a cidade, mas acordos politicos. Completo o pensamento: para combater a pobreza; para dar educação, saúde e transporte de qualidade para todos; para reduzir a miséria que insiste em não deixar o Brasil melhorar; para preservar nossos rios e florestas; para melhorar a economia sem tirar direitos conquistados com muita luta; assim, para ouvir o povo, igual nas melhores democracias do mundo, a gente precisa respeitar todo mundo, do mais pobre ao mais rico, com nenhum direito a menos.

 

Marco Aurélio Rodrigues Freitas é Jornalista, Historiador e Professor das redes Municipal e Estadual de São Paulo. Escreve todas as semanas no site Planeta Osasco.

 

 


Letra e Música:

Apenas um Rapaz Latino-Americano

Belchior

 

Eu sou apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco
Sem parentes importantes e vindo do interior
Mas trago, de cabeça, uma canção do rádio
Em que um antigo compositor baiano me dizia
Tudo é divino, tudo é maravilhoso (Bis)
Tenho ouvido muitos discos, conversado com pessoas, caminhado meu caminho
Papo, som dentro da noite e não tenho um amigo sequer
E não acredite nisso, não, tudo muda e com toda razão
Eu sou apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco
Sem parentes importantes e vindo do interior
Mas sei que tudo é proibido aliás, eu queria dizer
Que tudo é permitido até beijar você no escuro do cinema
Quando ninguém nos vê (Bis)
Não me peça que lhe faça uma canção como se deve
Correta, branca, suave, muito limpa, muito leve
Sons, palavras, são navalhas e eu não posso cantar como convém
Sem querer ferir ninguém
Mas não se preocupe meu amigo com os horrores que eu lhe digo
Isso é somente uma canção, a vida, a vida realmente é diferente
Quer dizer, ao vivo é muito pior
Eu sou apenas um rapaz latino-americano, sem dinheiro no banco
Por favor não saque a arma no "saloon" eu sou apenas um cantor
Mas se depois de cantar você ainda quiser me atirar
Mate-me logo, à tarde, às três, que à noite tenho um compromisso
E não posso faltar por causa de você (Bis)
Eu sou apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco
Sem parentes importantes e vindo do interior
Mas sei que nada é divino, nada, nada é maravilhoso
Nada, nada é sagrado, nada, nada é misterioso, não

Para o jornalista Kennedy Alencar, Moro teria abusado na medida de condução coercitiva de jornalista para suposta tentativa de obtenção de fontes. Ricardo Noblat, jornalista do O Globo, e entusiasta das ações do juiz do Paraná, também não concordou com a ação. A ex-presidente Dilma Rousseff denunciou ação ilegal de Sérgio Moro. E para você, querido leitor, é legal ou ilegal?

Leia a íntegra da opinião de Kennedy Alencar;

>>

Pelo que se sabe até agora, o blogueiro Eduardo Guimarães foi vítima de uma medida abusiva. O juiz Sérgio Moro ordenou sua condução coercitiva para depoimento na Polícia Federal hoje em São Paulo.

De acordo com a defesa do blogueiro, o motivo teria sido o interesse em saber a fonte que transmitiu a Guimarães a informação sobre a condução coercitiva de Lula no ano passado. Questionada pela jornalista Mônica Bergamo, da “Folha de S. Paulo”, a assessoria de Moro respondeu: “Sem comentários”.

Não é uma resposta razoável. São necessárias explicações mais detalhadas da parte de Moro. O sigilo da fonte é uma garantia constitucional. Quebrá-lo fere a liberdade de informação e expressão.

É preocupante a atitude do juiz federal de Curitiba, que já quis dar lição à “Folha de S.Paulo” sobre o que o jornal deveria publicar. Tampouco cabe ao magistrado determinar quem pode ou não atuar como jornalista. O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu em 2009 que é inconstitucional a exigência de diploma de jornalismo e registro profissional no Ministério do Trabalho para o exercício da profissão de jornalista.

A Operação Lava Jato tem sido marcada por vazamentos. Não dá para adotar dois pesos e duas medidas em relação a quais vazamentos podem ou não ser tolerados por policiais, procuradores e juízes. Aceitar isso é flertar com perigosa tentação autoritária.

Pelo princípio da transparência tão defendido por Moro e integrantes da Lava Jato, a opinião pública merece saber quais foram as justificativas para a condução coercitiva de Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania.

*

Outro lado

Ao final da tarde, a jornalista Monica Bergamo obteve resposta da assessoria de imprensa da Justiça Federal do Paraná. Segundo a assessoria, o juiz não considera que Guimarães seja jornalista. Afirma ainda que ele é investigado por quebra de sigilo criminal no âmbito da Lava Jato.

*

Não misturar alhos com bugalhos

Em relação à Operação Turing, que investiga funcionários públicos e blogueiros do Maranhão suspeitos de vazar informação em troca de dinheiro, foram dadas justificativas para os procedimentos adotados hoje pela Polícia Federal.

 

Publicado no Blog de Kennedy Alencar

Página 10 de 26