Página 1 de 391

MPSP (Ministério Público de São Paulo) solicitou mais informações sobre a publicidade do reajuste da passagem em Osasco. A Promotoria pediu explicações sobre publicidade do reajuste da tarifa em Osasco. E a Justiça determinou que Prefeitura se manifeste. A Ação Civil foi protocolada pelo mesmo autor que impediu Festa do Peão em Osasco. Em sua ação, ele afirma que a Prefeitura não deu publicidade à população sobre o reajuste, surpreendendo-a.  

O Ministério Público de São Paulo (MPSP) se manifestou na última sexta-feira, dia 12 de janeiro, atendendo a uma Ação Civil Pública, que solicitou mais informações sobre a divulgação do reajuste da tarifa em Osasco.

“Tal assunto é de suma importância ao interesse público e qualquer decisão judicial terá enorme consequência, bem como não se sabe se tal publicação citada pelo autor foi o único meio que deu publicidade a tal reajuste, requeiro a notificação dos requeridos (Prefeitura e empresas) para que se manifestem sobre o pedido de liminar", entendeu a promotoria. 

Com a manifestação do MP, o juiz José Tadeu Picolo Zanoni determinou que o município e as concessionárias se manifestem. "Citem-se e intimem-se os requeridos para que digamos requeridos, sem prejuízo do prazo para contestação, sobre o pedido de liminar no prazo de 72horas. Cumpra-se com urgência", despachou o magistrado. 

Por outro lado, crescem os movimentos contra o aumento da tarifa, que em 12 meses foi de 0,55 centavos, 14,47 %. Em janeiro de 2017 era R$ 3,80 e hoje, 17 de janeiro de 2018 é R$ 4,35. Mais de um por cento ao mês.

Dia 15 de janeiro, segunda feira, houve uma manifestação no Largo de Osasco contra o aumento das tarifas de ônibus. No final da tarde, os manifestantes foram em passeata até à Prefeitura.

 

A luta contra o aumento completa um ano nesse janeiro de 2018

 

No início de 2017, o Planeta Osasco publicou algumas matérias sobre o aumento da tarifa de ônibus em Osasco, que na época, subiu de R$ 3,80 para R$ 4,20. Naquele momento, diversos vereadores se mostraram indignados. Inclusive, o atual líder do governo.

O movimento contra a nova tarifa conseguiu várias reuniões com o Prefeito e não obteve resultado positivo em nenhuma delas. Todas as promessas de campanha foram esquecidas. Entre as manchetes do Planeta, mostrando a insensibilidade política da administração, cinco foram essas:

 

      1.Rogério Lins é 'incapaz' de negociar redução da tarifa de ônibus.

  1. Tarifa R$4,20: Dossiê Osasco - menor percurso, maior custo.  
  2. Governo de Osasco estaria censurando comentários nas redes sociais.
  3. Lins recebe manifestantes para debater preço da passagem.
  4. Movimento pede redução da tarifa de ônibus em Osasco

 

As matérias revelaram o embate entre o povo e as companhias de ônibus; além da incapacidade da Prefeitura em defender o povo que se utiliza do transporte coletivo. Agora, um ano depois, ocorre outro aumento, de R$ 4,20 para R$ 4,35. Desta vez, o governo não pode colocar a culpa no prefeito anterior. Este ano, o Prefeito nem procurou conversar com a população e nem procurou explicações para dar à cidade. E as empresas fazem um silencio providencial.

Coletivo Mídia Independente de Osasco

Página 1 de 391