Terça, 11 Julho 2017 17:35

Amigos confirmam a morte de Celso Giglio Destaque

Foi confirmada por amigos a morte do Deputado Estadual Celso Giglio. Nascido em Campinas, ele construiu sua vida pública em Osasco. A causa da morte não foi informada.

[ATUALIZAÇÃO]O atual Prefeito de Osasco, Rogério Lins, teria sido informado por familiares do deputado e emitiu nota sobre o falecimento, decretando luto oficial.

Biografia

Casado com Glória Giglio, com quem teve cinco filhos e quatro netos, formou-se em Medicina, na Faculdade de Medicina do Triângulo Mineiro, foi residente de cirurgia na Associação de Combate ao Câncer do Brasil Central e especializou-se em Cirurgia Geral e Obstetrícia na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Formou-se em Administração Hospitalar pela USP e especializou-se em Ginecologia e Obstetrícia.

Em 1988, Celso Giglio foi eleito vereador em Osasco. Em 1992, foi eleito prefeito da cidade, com 54,12% dos votos. Quando seu mandato acabou, recebeu o indíce de 92% de aprovação popular, se tornando o prefeito que teve a nota mais alta do Brasil.

Em 2000, voltou à prefeitura de Osasco, com o lema "Cidade Trabalho". Em 2004 tentou a reeleição, mas desgastado por um mandato conturbado, perdeu para Emídio Pereira de Souza.

Foi eleito deputado estadual em 2006, tendo sido o deputado com o maior número de votos da cidade de Osasco.

Foi superintendente do IAMSPE, no governo de Geraldo Alckmin, após perder as eleições para prefeito de Osasco.

Celso Giglio é um líder municipalista. Em 1995 coordenou o movimento "União pelo Município" que teve adesão de 2.700 prefeituras de todo o país, que defendeu os interesses municipais durante o processo de discussão da reforma tributária.

Em 1997 assumiu a presidência da Associação Paulista de Municípios. Em 1998, foi eleito deputado federal (o 5º mais votado de São Paulo e o 1º mais votado da coligação PTB-PSDB, com 190.047 votos), sendo a voz dos municipalistas no Congresso Nacional.

Em 2014, Celso Giglio foi eleito Deputado Estatual sendo um dos deputados mais votados da cidade de Osasco.

Em 20/07/2016, Celso Giglio teve negado o pedido de tutela de urgência para tentar reverter a rejeição de suas contas, referentes à gestão de 2004. A decisão foi tomada pela 2ª Vara da Fazenda Pública do Foro de Osasco. Com a decisão, Celso Giglio fica inelegível para disputar as eleições municipais de 2016.

No dia de ontem (10/07/2017) boatos tomaram conta das redes afirmando que o ex-prefeito teria morrido ou diagnosticada a morte cerebral. Os rumores foram aumentando durante a noite, porém sem nenhuma confirmação de sua assessoria.

Até o momento, a confirmação da morte foi dada por amigos próximos, sinalizando que a data da morte foi hoje, 11 de julho durante a tarde, no Hospital Albert Einstein.

Autor

Redação