Destaques

Profissionais da saúde seguem paralisados no Rio

Sem pagamento, servidores terceirizados da área de saúde do município do Rio de Janeiro seguem paralisados hoje (12). Em nota, a prefeitura do Rio de Janeiro informou que R$ 12,5 milhões deverão ser repassados para as Organizações Sociais (OSs) nesta quinta-feira. A partir daí, as organizações têm 24 horas para depositar o salário nas contas dos funcionários.
Agentes comunitários de saúde, farmacêuticos, técnicos de enfermagem, entre outros profissionais, estão sem receber desde outubro. Desde terça-feira (10), eles mantém em funcionamento nas unidades de saúde mais afetadas pela falta de repasses de verbas apenas o mínimo para o atendimento de casos mais urgentes.
De acordo com a prefeitura, os recursos serão remanejados do próprio orçamento da Secretaria de Saúde. Eles serão usados para pagar o salário de novembro de 4.779 agentes comunitários e técnicos de enfermagem. Dentre eles, 2.314 ainda não tinham recebido o mês de outubro, que “agora ficam com os salários em dia”, diz a nota enviada à imprensa. 
Em carta aberta à população carioca, os funcionários dizem que mais de 20 mil profissionais de saúde convivem com o atraso salarial desde outubro e com a falta de condições adequadas de trabalho. Os mais afetados são aqueles contratados por organizações sociais (OSs) e organizações não governamentais (ONGs), que recebem recursos da prefeitura para administrar unidades de saúde. 
A paralisação, que deveria durar 48 horas até ontem (11), foi mantida. “Ninguém recebeu ainda, seguimos paralisados. Hoje faremos uma nova assembleia”, disse o médico de família e comunidade e diretor de Comunicação do Sindicato dos Médicos do Rio Janeiro, Carlos Vasconcellos. 
Profissionais relataram à Agência Brasil que estão sem dinheiro para pagar transporte para chegar no local de trabalho e que muitos estão sem dinheiro até mesmo para comprar comida.  
Nesta quinta-feira, a audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Rio de Janeiro de conciliação relativa ao dissídio coletivo de greve dos trabalhadores será retomada. A audiência foi suspensa ontem para esperar o posicionamento da prefeitura em relação aos recursos disponíveis para os pagamentos.  Para resolver a situação, o prefeito Marcelo Crivella chegou a pedir ajuda ao governo federal, em Brasília.

Edição: Fábio Massa

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

planeta

O PlanetaOsasco existe desde 2008 e é o primeiro portal noticioso da história da cidade. É independente e aceita contribuições dos moradores de Osasco.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax