Destaques

Conselho Federal de Medicina libera mas não recomenda cloroquina para tratar a Covid-19

“Não há evidências sólidas” de que o uso de cloroquina ou hidroxicloroquina “tenham efeito na prevenção e tratamento da Covid-19”, causada pelo novo coronavírus. É o que diz o novo parecer do Conselho Federal de Medicina (CFM), publicado nesta quinta-feira, que autoriza o uso da substância, mas não a recomenda.

Segundo o presidente do conselho, Mauro Ribeiro, o documento foi entregue ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Saúde, Nelson Teich, e ambos receberam positivamente o estudo, que nega as evidências de eficácia.

No entanto, o parecer considera que diante da situação mundial de pandemia, é possível o uso desses medicamentos em três situações específicas, desde que em comum acordo entre médico e paciente ou familiares, além do dever de informar que não há estudos que atestem eficácia e que pode haver efeitos colaterais graves.

As situações em que os médicos podem usar a hidroxicloroquina em pacientes de Covid-19 são: casos graves com lesão pulmonar causada pelo coronavírus, em pacientes com sintomas leves, desde que descartadas outras viroses e com diagnóstico positivo para Covid-19, e pacientes com sintomas considerados “importantes”, mas sem necessidade de cuidados intensivos ou de internação.

Segundo Mauro Ribeiro, do CFM, existem mais de quinhentos estudos sobre o tema no mundo, e as orientações podem ser alteradas a qualquer momento. 

A Sociedade Brasileira de Infectologia, por meio de nota técnica, alertou que o elevado número de pessoas a serem testadas com a cloroquina poderia levar à falta do medicamento a quem já utiliza para tratar doenças como artrite e lúpus.
A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia, também em nota, destacou que os medicamentos citados não podem ser prescritos de forma indiscriminada em casos leves da doença.

Segundo a Fiocruz, um estudo que avalia a eficácia de duas dosagens de cloroquina em pacientes com a Covid-19 está sendo realizado. Os resultados iniciais mostram que as doses altas do medicamento não são indicadas e, até o momento, não é possível afirmar que o uso da cloroquina “tenha eficácia no tratamento dos infectados com o novo coronavírus”.

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

planeta

O PlanetaOsasco existe desde 2008 e é o primeiro portal noticioso da história da cidade. É independente e aceita contribuições dos moradores de Osasco.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax