Destaques

Governo do Rio entrega segundo hospital de campanha

O governo do Rio inaugurou hoje (9) o segundo hospital de campanha para atendimento às vítimas do novo coronavírus. O Hospital de Campanha do Maracanã, construído em 38 dias, funcionará na área externa do estádio Mário Filho. Com o apoio da iniciativa privada, a unidade é voltada ao atendimento às vítimas da covid-19 em estado grave.
Neste fim de semana serão abertos 170 dos 400 leitos do hospital, sendo 50 de unidade de terapia intensiva (UTI) e 120 de enfermaria. Mais 230 estão sendo finalizados e serão entregues à população até a próxima sexta-feira (15).
De acordo com o governador Wilson Witzel, “o Hospital do Maracanã é de alta complexidade e, comparado ao que foi feito na China em 30 dias, tem complexidade maior. Em São Paulo, 9% a 10% dos hospitais são destinados à UTI. Aqui, 100% dos hospitais serão destinados à UTI”, afirmou Witzel.
O secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, informou que na próxima segunda-feira (11) serão abertos 80 dos 200 leitos do Hospital de Campanha do Parque dos Atletas, na Barra da Tijuca, e que mais 20 leitos serão entregues ao longo da próxima semana. No Hospital de Campanha do Leblon, o primeiro a ser entregue, construído em terreno ao lado do 23° Batalhão da Polícia Militar, serão abertos na segunda-feira os 100 leitos que faltavam, completando o total de 200 vagas para atendimento às vítimas de covid-19.
O Hospital do Maracanã conta com dois equipamentos de tomografia computadorizada e aparelhos de ultrassom, raio-X portátil e hemodiálise. A grande novidade será um computador que permitirá aos pacientes internados conversar por videoconferência com os parentes em casa. Segundo Edmar Santos, “essa novidade será muito importante para humanizar o atendimento aos pacientes do coronavírus internados em isolamento na unidade”.
Leitos particulares
Além de aumentar a oferta de leitos públicos, o governo também tentará obter vagas em leitos da rede privada. Em reunião nessa sexta-feira (8), o governador Wilson Witzel informou a dirigentes de federações e sindicatos de hospitais e estabelecimentos de saúde que até terça-feira (12) deverá editar decreto requisitando leitos particulares em todo o estado para complementar o atendimento às vítimas da pandemia.
Por determinação do governador, a Secretaria estadual de Saúde está enviando ofício às instituições privadas, requisitando as planilhas de custos de operação de leitos de UTI e enfermarias na rede privada, além de informações sobre o número de leitos vagos na rede particular. Com esses dados, será calculado o valor que o governo do Rio pagará pelos leitos requisitados.
Requisição de médicos
Witzel também decidiu fazer um chamamento público aos médicos e demais profissionais de saúde de outros estados que queiram trabalhar no Rio de Janeiro, no atendimento às vítimas do coronavírus, inclusive em hospitais de campanha. O governador pedirá ao Ministério da Saúde auxílio na contratação de profissionais de saúde da China e de outros países que já venceram a pandemia.
Hospital de campanha
Nos mesmos moldes do Hospital de Campanha do Leblon, com o auxílio da iniciativa privada e da Rede D’Or, que vai administrar a unidade, será inaugurado na segunda-feira (11) o terceiro hospital de campanha na cidade, construído para atender pacientes de covid-19. O anúncio foi feito ontem (8). A unidade está montada no Parque dos Atletas, na Barra da Tijuca, zona oeste da capital, quase em frente ao Riocentro.
O Hospital de Campanha do Parque dos Atletas vai entrar em funcionamento com 100 leitos e, a partir do dia 22, o número será ampliado para 200, sendo 50 de unidades de terapia intensiva (UTI) e 150 de enfermaria. Os pacientes serão encaminhados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
O custo total do hospital para 120 dias de funcionamento será de R$ 50 milhões, pagos por meio de patrocínio da iniciativa privada. As empresas envolvidas são Movimento União Rio, Stone Pagamentos, Mubadala, Qualicorp, SulAmérica Seguros, Vale e Banco BV, além da Rede D’Or, que cuidou da construção e fará também a gestão da unidade.
Aumento de leitos
O governo informou que o Hospital de Campanha Lagoa-Barra, no Leblon, zona sul da cidade, passa a oferecer 200 leitos a partir de segunda-feira. Ele foi inaugurado no último dia 25 e opera com 160 leitos, sob gestão da Rede D’Or. As duas unidades contam com estrutura de alta complexidade, como respiradores, monitores cardíacos, tomógrafo digital, ultrassom, ecocardiógrafo e análises clínicas.

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

planeta

O PlanetaOsasco existe desde 2008 e é o primeiro portal noticioso da história da cidade. É independente e aceita contribuições dos moradores de Osasco.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax