Destaques

Governo anula anistia concedida a militares por perseguição política durante ditadura

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos publicou, nesta segunda-feira, 295 portarias anulando a anistia de militares por perseguição política durante a ditadura militar.
A pasta justifica que não há comprovação da existência de perseguição exclusivamente política nos atos de anistia já realizados. O Ministério assegura que não será necessário devolver as verbas indenizatórias já recebidas.
As anistias eram baseadas em uma portaria da Aeronáutica, de 1964, que determinou a dispensa de cabos contratados após 8 anos de serviço.
Em 2002, a Comissão de Anistia entendeu que o ato configurava perseguição política, autorizando a condição de anistiados para aqueles cabos dispensados à época.  Segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, essas anistias custam R$ 31 milhões por mês para a Aeronáutica.
Em outubro de 2019, o Supremo Tribunal Federal decidiu que era constitucional a possibilidade de revogação das anistias dadas a mais de 2,5 mil militares baseada nessa portaria.
Na época, a maioria do STF entendeu que a portaria, por si só, não se constituiu como ato de exceção, sendo necessário a comprovação de motivação político-ideológica para exclusão das Forças Armadas, possibilitando assim a concessão de anistia.
O governo anunciou, em 2019, uma força-tarefa com o Ministério dos Direitos Humanos e a AGU para rever as anistias à militares com base nesse ato.                                
O Supremo garantiu a defesa administrativa e a não devolução das verbas recebidas de boa-fé pelos militares.

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

planeta

O PlanetaOsasco existe desde 2008 e é o primeiro portal noticioso da história da cidade. É independente e aceita contribuições dos moradores de Osasco.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax