Observatório

Projeto Rios Vivos: chega a 44% execução de desassoreamento do Rio Una

O programa foi ampliado e chegará a 130 municípios paulistas

Em cerca de três meses desde o início das ações de desassoreamento e revitalização do Rio Una, em Taubaté, foram recolhidos mais de 5,1 mil m³ de material do leito do rio. O número representa cerca de 44% do total programado, de 11,6 mil m³. O projeto é executado pela Secretaria do Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística (Semil), por meio do Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee). A titular da pasta, Natália Resende, esteve na área de intervenções na terça-feira (27) para acompanhar o andamento do trabalho, que deve ser concluído no final deste semestre.

Parte do projeto Rios Vivos – que recupera leitos de cursos d’água e garante melhoria dos índices ambientais e novos investimentos –, a revitalização do Rio Una é um investimento de R$ 1 milhão que, ao fim, terá retirado o equivalente a 830 caminhões do tipo caçamba cheios (11,6 mil m³), ao longo de 2 km de extensão.

Cerca de 30% da água consumida em Taubaté, município com aproximadamente 320 mil habitantes, vem do Una. A previsão de conclusão das obras, iniciadas em novembro do ano passado, é maio desde ano. “Esse é um trabalho muito importante, que melhora o escoamento, melhora a vazão dos rios, e a disponibilidade hídrica, uma vez que 30% do abastecimento de Taubaté vem desse curso d’água”, avaliou a secretária.

“Ainda neste semestre vamos concluir essa obra e iniciar a próxima no rio Itaim. Em parceria com as prefeituras, queremos levar, com o Programa Rios Vivos, mais segurança e qualidade de vida para a população. Com os rios desassoreados, garantimos mais vazão, e fluxo para o curso d’água, contribuindo para o abastecimento público”, analisou.

Rio Itaim

Outro rio em Taubaté, o Itaim, também receberá ações do Rios Vivos. As intervenções estão programadas para começar ainda no primeiro semestre deste ano. Do Itaim, devem ser retirados cerca de 5,8 mil m³, o equivalente a 400 caminhões com 14 m³ de capacidade cada. O valor estimado é de R$ 678,6 mil.

Nas regiões próximas a Taubaté (Vale do Paraíba e Litoral Norte), o Rios Vivos já recuperou cursos d’água em Lagoinha (Rio Botucatu), Cruzeiro (Córrego Barrinha e afluentes), São Luiz do Paraitinga (Rio Paraitinga) e Caraguatatuba (Rio Juqueriquerê).

Investimento de R$ 172 milhões

Atualmente no seu segundo ciclo, iniciado no fim do ano passado, o Rios Vivos deve revitalizar 240 cursos d’água – entre córregos, riachos, ribeirões e rios – em 130 municípios paulistas, totalizando R$ 172 milhões em investimentos até o final de 2024. No primeiro ciclo, finalizado em 2023, houve intervenções em 97 municípios e 130 cursos d’água. A adesão dos municípios pode ser feita pelo site do DAEE.

O principal objetivo do Rios Vivos é, em resumo, melhorar a qualidade da água nas bacias hidrográficas do Estado de São Paulo. As obras de desassoreamento e intervenções de recuperação melhoram a vazão dos rios e assim regulam melhor as cheias, evitando inundações; preservam os ecossistemas locais, ajudando a garantir o abastecimento humano; ampliam as opções de lazer; além de propiciarem a atração de novos investimentos e infraestruturas urbanas de baixo impacto para o entorno dos cursos d’água.

Conteúdo Oficial – Gov SP

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

Matheus V.

Verifico e produzo notícias de Osasco, Barueri e região, monitoro o portal da transparência da cidade e faço checagem de licitações e compras públicas.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax