Destaques

Prefeitura do Rio diz que já concluiu obras emergenciais na Niemeyer

A Procuradoria-Geral do Município do Rio de Janeiro vai recorrer da decisão da 13ª Câmara Cível do Tribunal Justiça do Estado do Rio de Janeiro que manteve a interdição da Avenida Niemeyer, na zona sul da cidade. Ao contrário do que afirmaram os desembargadores, a prefeitura do Rio de Janeiro avalia que os trabalhos emergenciais já estão concluídos.
A avenida é uma importante ligação entre São Conrado, Leblon e Vidigal e está interditada desde o dia 27 de maio, quando a Justiça determinou seu fechamento após um temporal que atingiu a cidade e provocou deslizamentos de terra na via. Em fevereiro, outro temporal já havia causado deslizamentos, e duas pessoas morreram soterradas dentro de um ônibus que foi atingido por uma árvore que desceu da encosta.

Os desembargadores da 13ª Câmara Cível do TJ-RJ decidiram ontem (18) de forma unânime que a via não poderia ser reaberta, por apresentar riscos a motoristas e pedestres. O relator do processo, desembargador Agostinho Teixeira, chegou a dizer em seu voto que somente metade das obras emergenciais havia sido concluída, embora a prefeitura tivesse se comprometido a terminar a intervenção até novembro.
“Essa informação, por si só, seria suficiente para atestar a ausência de segurança necessária para circulação na Niemeyer”, julgou ele, que considera que liberar a circulação de veículos “retardaria ainda mais a finalização das intervenções”.
A Secretaria Municipal de Infraestrutura, Habitação e Conservação ressaltou que a prefeitura concluiu o projeto e as obras emergenciais e disse que não houve qualquer ocorrência na via nas chuvas registradas neste mês. “A via, no entanto, permanece fechada por determinação judicial”, disse o órgão, que afirmou que o canteiro de obra já está sendo desmobilizado. 
Edição: Valéria Aguiar

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

planeta

O PlanetaOsasco existe desde 2008 e é o primeiro portal noticioso da história da cidade. É independente e aceita contribuições dos moradores de Osasco.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax