Destaques

Estudo mostra que habitats diferentes têm protegido biodiversidade da Amazônia

A manutenção de habitats diferentes é fator de proteção da biodiversidade na Amazônia. Essa é uma das conclusões de um estudo sobre répteis, realizado pelo Instituto Mamirauá, na reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, região central do estado do Amazonas.

A pesquisa, conduzida pelo biólogo Iury Cobra, fez um levantamento das espécies de répteis e as respectivas quantidades em diferentes áreas, coletando dados em florestas de terra firme e também em áreas alagáveis, também chamadas de várzeas.

Em um ano de coleta na unidade de conservação, foram identificados 512 indivíduos de cobras e lagartos que totalizaram 39 espécies identificadas na terra-firme e 30 nas matas alagadas de várzea.

A percepção é de que a área tem conseguido manter o processo evolutivo da biodiversidade, por ter um perfil de mosaico.

A comparação entre animais de terra firme e várzea também é importante porque pode mostrar como a mesma espécie habita ambientes diversos e pode se adaptar, demonstrando a influência do ambiente nos comportamentos dos indivíduos.

De acordo com o pesquisador, os estudos apontaram um padrão já conhecido pelos cientistas para os ambientes amazônicos: a terra-firme tem mais espécies e a várzea, maior quantidade de animais.

Os resultados mostram que a complementariedade das áreas diversas determinam a população das espécies na região, daí a importância da conservação de áreas diferentes entre si.

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

planeta

O PlanetaOsasco existe desde 2008 e é o primeiro portal noticioso da história da cidade. É independente e aceita contribuições dos moradores de Osasco.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax