Destaques

Centro emergencial em RR monitora entrada do coronavírus pela fronteira

Com a intenção de prevenir a entrada do novo coronavírus pela fronteira do Brasil, o estado de Roraima vai ganhar, ainda este mês, o primeiro Centro Emergencial de Operações em Saúde Pública do país.

A medida faz parte de entendimento entre o governo estadual e o Ministério da Saúde. A decisão considerou o fato de que os municípios roraimenses de Pacaraima e Bonfim são as principais portas de entrada no Brasil para muitos imigrantes.

De acordo com o secretário de Saúde de Roraima, Allan Garcês, a implantação do centro emergencial vai ser executada pelo governo estadual e supervisionada pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

Ele explica que o espaço vai servir para intensificar ações de combate ao novo coronavírus, que já estão sendo realizadas no estado.

O local de instalação do primeiro centro emergencial do país ainda não está definido mas, segundo o secretário Allan Garcês, é importante considerar a rede de comunicação existente nas fronteiras, principalmente no que se refere à conexão de internet.

Também estão previstas ações de capacitação profissional para atendimento de casos suspeitos do coronavírus em comunidades indígenas e no Aeroporto Internacional de Boa Vista.

O Brasil permanece sem registro do vírus. Até esta quarta-feira (12), o Ministério da Saúde monitora oito casos suspeitos em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

planeta

O PlanetaOsasco existe desde 2008 e é o primeiro portal noticioso da história da cidade. É independente e aceita contribuições dos moradores de Osasco.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax