Manchetes

Manifestações pelo mundo seriam orquestradas através de ONGs

Este conteúdo é parte do laboratório político do Coletivo de Mídia Independente de Osasco, publicado em Manchete, todas as terças. 

As manifestações dessa semana mostraram que a postura da PM em SP será ainda mais truculenta e levando ao limite os manifestantes. Nesse cenário, os governos parecem trazer uma escalada violenta que culmine com a desistência de parte desses manifestantes.

No entanto, uma observação global poderá revelar que diversos países teriam as raízes de nascimento das marchas de forma 'orientada'.

Governos -especialmente os comandados por Obama e Merkel- comprovadamente usaram amplos recursos de soft-power (ou poder-brando) para induzir 'revoluções coloridas' em diversas partes do mundo. Entre elas, Ucrânia, Líbia, Síria e Venezuela.

ONGs de Direitos Humanos e de Pesquisas Científicas foram apontadas por líderes latinos como ferramentas usadas para atiçar movimentos radicais; com essa prática, os atos conseguiram atingir em cheio até mesmo a Rússia.

 

Mais Marchas pelo mundo

E por falar em Rússia, Vladimir Putin atacou duramente as ONGs internacionais de Direitos Humanos e Pesquisas Científicas por auxiliarem grupos -'incitados pelas mesmas'- a produzirem atos radicais por todo o país.

Putin determinou que as ONGs estrangeiras seriam observadas de perto (em alguns casos até mesmo expulsas sumariamente), principalmente as que possuem a capacidade de arregimentar pessoas e ter acesso a materiais de suprimentos.

O Objetivo dos Estados Unidos e da União Europeia na questão Ucraniana parece claro: ações indiretas que enfraqueçam a Rússia e permita a instalação de tropas da Otan na Ucrânia. 

O tencionamento social no Brasil não é derivado dessa prática, mas poderia ser facilmente direcionado caso existisse interesse econômico ou político de países com ONGs por aqui. Lá, a disputa é por tudo que guarda as regiões da Eurásia, aqui pode ser por hidrocarbonetos. 

Poderia o Brasil estabelecer leis mais rígidas para controlar, cercear e até mesmo dissolver ONGs estrangeiras que possam atiçar reações sociais com interesses político-comerciais de outras nações? Constitucionalmente, sim.

 

Texto M.S.
Imagem EBC
Ensaio 2.105
 

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

planeta

O PlanetaOsasco existe desde 2008 e é o primeiro portal noticioso da história da cidade. É independente e aceita contribuições dos moradores de Osasco.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax