Manchetes

Justiça bloqueia bens de ex-prefeito e de dois ex-secretário do PT em Osasco

A Justiça bloqueou os bens no limite de R$ 6.620.616,00 do ex- prefeito de Osasco Emídio de Souza, atual presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), em São Paulo, do ex-secretário de Finanças Estanislau Dobbeck e do ex-secretário de Assuntos Jurídicos Renato Afonso Gonçalves, ambos do mesmo município, informou o Ministério Público de São Paulo (MP-SP). A decisão, que atendeu pedido da Promotoria do Patrimônio Público, também quebrou os sigilos bancário e fiscal dos três.

Segundo o Ministério Público, em 2011, o governo municipal celebrou um convênio de cooperação técnico-financeira para pesquisa na área de finanças públicas no valor de mais de R$ 5 milhões com o Instituto Cidad. “O objetivo da contratação era, supostamente, a realização de pesquisas para aprimorar a arrecadação tributária da cidade”, disse o MP. Mais oito envolvidos também respondem à ação, além do município de Osasco.

A Promotoria considerou o convênio vago e indeterminado, o que dificultava sua compreensão exata e alcance. “Investigações do MP revelaram que o Instituto Cidad é uma empresa totalmente inidônea e que repassou a terceiros grande parte dos valores recebidos pelo município de Osasco”.

Para o Ministério Público, a celebração do convênio foi uma forma de burlar a obrigatoriedade da licitação e que, na verdade, não houve “uma conjugação de esforços” no convênio, mas, sim, uma prestação de serviços ao governo municipal. A dispensa de licitação caracterizou ainda ato de improbidade administrativa, no qual se beneficiou indevidamente o Instituto Cidad e a empresa Cognus, além de seus sócios, de acordo com a promotoria.

Além do desvio das verbas públicas, houve deficiência na prestação de contas pelo instituto, o que gerou prejuízos para a prefeitura. Com o objetivo de garantir o ressarcimento ao município, o MP pede na ação a decretação de nulidade do convênio e a devolução aos cofres públicos de R$ 2.206.872,00, acrescido de juros e correção monetária, além de perda de função pública, multa civil, proibição de contratar com o poder público, entre outras sanções.

De acordo com o MP-SP, no dia 16 de julho, os bens de Emídio de Souza, no valor de R$ 3.567.874,54, já tinham sido bloquados por ter contratado, sem licitação, a União Educacional Panamericana para a prestação de serviços em atendimento e capacitação em tecnologias da informação e comunicação.

 A assessoria de imprensa do diretório do PT, em São Paulo, informou à Agência Brasil que deve se posicionar sobre o caso, mas não houve retorno até a conclusão da reportagem. O Instituto Cidad não atendeu às ligações. A empresa Cognus mudou de endereço e de telefone, sendo contatada por mensagem eletrônica, ainda não deu retorno.

Edição: Maria Claudia

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

planeta

O PlanetaOsasco existe desde 2008 e é o primeiro portal noticioso da história da cidade. É independente e aceita contribuições dos moradores de Osasco.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax