Observatório

Incêndios florestais: pela 1ª vez, SP capacita agricultores para combate a queimadas

Produtores rurais foram convidados a participar dos treinamentos de combate a incêndios da Defesa Civil de SP

As oficinas de prevenção e combate a incêndios florestais da Defesa Civil do Estado de São Paulo contaram, neste ano, com a participação de 2 mil agentes de 450 municípios paulistas. Pela primeira vez, as atividades tiveram a participação de agricultores. O objetivo da iniciativa, que integra a operação SP Sem Fogo, foi instruir os produtores rurais sobre as principais técnicas para evitar queimadas de grandes proporções no período de estiagem.

‌Entre abril e maio, o órgão realizou 15 capacitações em diferentes regiões do estado. Os treinamentos foram presenciais e cada etapa teve duração de dois dias.

‌”O treinamento dos agentes de defesa civil é crucial para a operação SP Sem Fogo, pois garante que estejam preparados para agir de forma eficiente e segura na prevenção e combate a incêndios, sempre com a missão de proteger vidas”, afirma o coronel PM Henguel Ricardo Pereira, coordenador Estadual de Proteção e Defesa Civil e secretário-chefe da Casa Militar.

‌Uma das principais ações de prevenção de incêndios em vegetação abordada nos treinamentos foi a construção de aceiros: faixas em que se retira a vegetação para evitar a propagação do fogo em caso de queimadas. Os “buracos” são feitos com a ajuda de maquinário ou manualmente.

Agentes e produtores rurais recebem orientações da Defesa Civil sobre o combate a incêndios florestais

Nos cursos, os participantes aprendem sobre previsão meteorológica para o período de estiagem, planos de contingência, emissão de alertas e comunicação em desastres.

‌“Tenho uma propriedade que é um pouco vulnerável, porque fica na beira da rodovia. Então, temos que ficar atentos a esses eventos de incêndio. A gente procura manter aceiros e se preparar com alguns equipamentos que possam dar combate na hora do evento”, afirma o produtor rural Pedro Polizel, de Sorocaba, que participou de uma das oficinas.

‌Nos cursos, os participantes – que também englobam agentes de defesa civil municipais – aprendem sobre previsão meteorológica para o período de estiagem, planos de contingência, emissão de alertas e comunicação em desastres.

Leia mais: Parque do Juquery: as lições deixadas pelo combate ao incêndio que durou 4 dias

‌“Na hora do incêndio, a gente deve fazer comunicação com os órgãos do governo e também com os vizinhos. Gostei de saber que a estrutura da Defesa Civil é bem organizada, com tudo muito bem aparelhado. Nessa época difícil de seca, a gente fica atento para que não aconteça um evento maior. Todos os produtores deveriam participar”, relata Polizel.

‌Durante as atividades, os agentes da Defesa Civil passam dicas e instruções sobre como utilizar os equipamentos de primeiro combate ao fogo, como abafadores e mochilas costais. A atividade é importante já que, em muitos casos, incêndios ganham grandes proporções por não haver um combate inicial adequado.

‌“Tivemos um exercício muito interessante com o uso do abafador, para combater o início do fogo em áreas mais baixas de capim, que pode propagar até chegar na floresta. Tem também o pulverizador costal. Vários agricultores têm esse material e podem adaptar para fazer esse primeiro combate. Há também os cuidados com a segurança, o risco para quem está fazendo esse combate. Foram muitas instruções e achei bastante positivo”, afirma o agricultor Rodolfo Vilela.

‌Operação SP Sem Fogo

A operação SP Sem Fogo é uma parceria entre as Secretarias de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística (Semil), por meio da Coordenadoria de Fiscalização e Biodiversidade (CFB), Segurança Pública e Defesa Civil do Estado. Além disso, conta com iniciativas e investimentos do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Fundação Florestal (FF), e Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA).

‌As ações da gestão estadual vêm contribuindo para a redução recorde de incêndios florestais. Em 2023, em todo o estado de São Paulo, a área total atingida por incêndios florestais foi de 1.030 hectares, ante 7.181 em 2022, queda de 86%. Os dados são do Painel Geoestatístico dos Incêndios Florestais em Unidades de Conservação e Áreas Protegidas.

Conteúdo Oficial – Gov SP

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

Matheus V.

Verifico e produzo notícias de Osasco, Barueri e região, monitoro o portal da transparência da cidade e faço checagem de licitações e compras públicas.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax