Observatório

Usina de dessalinização é opção para enfrentar escassez de água

Usina de dessalinização em Ras Al Khaimah, Emirados Árabes Unidos. A construção de uma usina desse tipo é a solução para locais que não comportam um reservatório

Sabe como se dá o processo de transformar água salgada em água potável? Você já ouviu falar desse procedimento, a que se dá o nome de dessalinização? Uma usina cujo objetivo será o de executar essa tarefa será construída no Litoral Norte e deverá atender 8 mil pessoas em 19 ilhas, na região de Ilhabela, para tratar a falta de água em cidades do litoral paulista no período de temporada, quando aumenta significativamente o número de turistas nos municípios litorâneos. Além de esgoto tratado, é importante que exista água potável para atender ao incremento da população em períodos específicos do ano.

O professor José Carlos Mierzwa, do Departamento de Engenharia Hidráulica Ambiental da Escola Politécnica da USP, especialista em tratamento de água e desenvolvimento de tecnologia de separação por membranas, explica que o problema é antigo e a dessalinização pode ajudar na oferta de água na região.

A ideia da construção de uma usina de dessalinização na região de Ilhabela, no Litoral Norte do Estado, é a solução para locais que não comportam um reservatório. O professor da USP explica como funciona esse processo de utilizar a água do mar para transformar em água doce e potável e informa que a primeira unidade de dessalinização foi construída no Brasil em Fernando de Noronha, uma ilha no litoral nordestino que também enfrentava escassez de água. O assunto vem sendo discutido e estudado no país desde a década de 1970.

Primeira no estado

Será a primeira usina de dessalinização do estado de São Paulo. A construção desse tipo de unidade pode ser a solução para a escassez hídrica que tem sido um desafio nos grandes centros urbanos. O Litoral Norte é uma área de preservação ambiental, por isso existe a preocupação com o meio ambiente e o engenheiro da Poli/USP tranquiliza a população.

Quando se pensa em custo, a tecnologia de engenharia utilizada já está bem mais acessível à população. A pergunta que se deve fazer é quanto custa não ter água? Outro ponto positivo destacado por Mierzwa é a qualidade da água, que não deixa nada a desejar para uma água de reservatório.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), até 2050 estima-se que a população mundial deva chegar a 9,5 bilhões de pessoas. Já em 2025, a escassez absoluta de água tende a atingir cerca de 2 bilhões de habitantes do planeta. Apesar do recurso natural ser encontrado em abundância, apenas 2,5% do volume total do líquido é doce.

Conteúdo Oficial – Gov SP

Concorra a prêmios surpresas ao fazer parte de nossa newsletter GRATUITA!

Quando você se inscreve na nossa newsletter participa de todos os futuros sorteios (dos mais variados parceiros comerciais) do PlanetaOsasco. Seus dados não serão vendidos para terceiros.

PlanetaOsasco.com

Matheus V.

Verifico e produzo notícias de Osasco, Barueri e região, monitoro o portal da transparência da cidade e faço checagem de licitações e compras públicas.

Artigos relacionados

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Botão Voltar ao topo
0
Queremos saber sua opinião sobre a matériax